Banca de DEFESA: SHEILA DINNAH SOUZA DA SILVA ALVARENGA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHEILA DINNAH SOUZA DA SILVA ALVARENGA
DATA: 06/05/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório D do CCHLA
TÍTULO:

QUEBRANDO A CONSPIRAÇÃO DO SILÊNCIO: BELAS VELHICES EM NATAL


PALAVRAS-CHAVES:

Envelhecimento. Velho. Corpo. Consumo. Cuidado de si. Bela velhice. 


PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
SUBÁREA: Antropologia Urbana
RESUMO:

Os novos discursos sobre a velhice contrariam as representações tradicionais que associam essa fase de vida a decreptude, doenças e limitações ao apresentá-la como um processo que engloba a atividade, novas aprendizagens, flexibilidade, satisfação pessoal e novos vínculos afetivos e amorosos. Desse modo, engendra-se uma nova perspectiva sobre o processo de envelhecimento e a velhice se transforma em terceira idade. Essa nova perspectiva estimula os idosos a se manterem saudáveis e ativos, transformando a juventude em um valor que pode ser alcançado independentemente da idade cronológica. Nesse contexto, a mídia exerce grande poder na construção da imagem das diversas etapas da vida, impõe aos idosos uma nova relação com o consumo e com o corpo, buscando aproximá-los da ideia de juventude. Como pressuposto, assume-se que o idoso que se mantém ativo para o consumo é o idoso que a mídia valoriza e a imagem que a mesma perpetua em seus canais. No primeiro capítulo, são apresentados os dados demográficos sobre a velhice, discutem-se as palavras que designam o velho e os seus usos ao longo da história, de acordo com a concepção de Silva (2008) e Debert (1997, 1998, 2012), assim como a evolução da velhice como centro do discurso político e social. No segundo capítulo, discorre-se sobre o envelhecimento do corpo na sociedade atual, na perspectiva de Le Breton (2007); e as implicações para a autoimagem que os velhos constróem sobre si mesmos a partir do conceito de biopolíticas, biopoder e cuidado de si de Foucault (1998, 1999). No terceiro capítulo, de acordo com a ideia de Simone de Beauvoir (1990) de “conspiração do silêncio”, busca-se romper esse silêncio dando voz aos velhos, que de maneiras distintas encontraram o seu modelo de bela velhice, conceito cunhado pela autora e desenvolvido por Goldenberg (2013). Através da pesquisa etnográfica e da sociologia compreensiva, a presente dissertação busca investigar como esses velhos, consumidores de serviços e produtos de cuidado com o corpo em geral, estabeleceram modelos de “bela velhice”, através da adoção de um estilo de vida que foge das representações sociais tradicionais do envelhecimento e engendram uma nova representação ao longo dos últimos anos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6348127 - JOSIMEY COSTA DA SILVA
Interno - 128.529.294-49 - VÂNIA DE VASCONCELOS GICO - UFRN
Externo à Instituição - ISOLDA BELO DA FONTE - UFPE
Notícia cadastrada em: 27/04/2016 15:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao