Banca de DEFESA: JOÃO PAULO BANDEIRA DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO PAULO BANDEIRA DE SOUZA
DATA: 29/02/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório de História (Sala C-4 do Setor II)
TÍTULO:

POLÍTICA E GLÓRIA EM MACHADO DE ASSIS: BRASIL, CAIPORAS, MEDALHÕES


PALAVRAS-CHAVES:

Medalhões; Caiporas; Glorificação; Oikonomia; Exercícios; Machado de Assis.


PÁGINAS: 270
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A tese apresentada é uma tentativa de continuação dos estudos iniciados desde a década de 1970, por autores como Schwartz, Faoro e Gledson, que focam nas contribuições da obra de Machado de Assis para o entendimento da vida social e política no Brasil. Nosso argumento gira ao redor da obra do contista Machado de Assis e é inspirado pelos métodos bachelardiano de devanear sobre devaneios e moriniano de pensar complexamente. Foram realizadas séries de leituras orientadas de duzentos e nove de Machado de Assis em busca de coletar, compreender e conectar: uma miríade de constelações de imagens que são depositórios e porções de imaginário sobre exercícios que revelam os modos como as tensões entre o que chamamos de medalhonização e o caiporismo se realizam e são narradas na cultura política dos brasileiros. Nos acompanham na jornada Giorgio Agamben e suas ideias sobre a oikonomia da  glorificação, e Peter Sloterdijk e suas concepções sobre a cultura como  exercícios, nomotopo e antropotécnica, além de outros autores auxiliares. Os contos trazem, inscritos em si uma teoria fragmentada, desenvolvida ao longo da carreira do contista, que revela em narrativas curtas; o imaginário dos rituais de aclamação (de triunfo e escárnio) e glorificação dos modos de ser Medalhão e Caipora nas mais diversas nuances.  Partindo do conto Teoria do Medalhão foi compreendido, que as temáticas nele tratadas, se espalhavam por muitos contos (aqui vamos trabalhar diretamente com cinquenta e oito deles), o que abriu a possibilidade de interpretar a obra com obra e tecer uma pesquisa complexa (Morin) que devaneou que: ao devanear sobre a glorificação e obscuridade Machado de Assis criava duas originais poéticas uma poética da medalhonização e uma poética do caiporismo, compondo artefatos culturais repletos de indispensáveis de saberes sobre cultura política entre brasileiros.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Interno - 1298988 - JOAO BOSCO ARAUJO DA COSTA
Interno - 1149562 - ORIVALDO PIMENTEL LOPES JUNIOR
Externo à Instituição - ANTONIO ANDRE ALVES - IFRN
Externo à Instituição - HERMANO MACHADO FERREIRA LIMA - UECE
Notícia cadastrada em: 19/04/2016 17:03
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao