Banca de QUALIFICAÇÃO: VYULLHENEY FERNANDES DE ARAUJO LACAVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VYULLHENEY FERNANDES DE ARAUJO LACAVA
DATA: 30/04/2015
HORA: 19:00
LOCAL: Sala de Reuniões do DCS
TÍTULO:

Cartografia do Close: afetações num circuito de musicalidades


PALAVRAS-CHAVES:

Cartografia; Produções Artísticas; Musicalidades Menores; Close.


PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A presente pesquisa toma por objeto de estudo um determinado circuito de musicalidades, contando com produções artísticas onde jovens atuando em grupos estão fazendo uso das artes como um dispositivo privilegiado para realização de suas críticas em face àquilo que ressentem como bloqueios e impasses para suas existências na contemporaneidade. Jovens que transpõem a potência de seus desejos para microfones, flyers anunciativos de eventos e chamadas para participação em performances. Compondo suas produções musicais e estendendo-as para indumentárias. A arte em si lida com fronteiras, entre o que é existente e o porvir (ou devir, no sentido deleuziano). Com esse entendimento, tais “grupelhos” (como diria Guattari) buscariam uma forma mais fluída de construir territórios (quer seja uma TAZ – zona autônoma temporária), onde práticas de liberdades ganhem privilégio em face de uma vida social cada vez mais sobrecodificada. Este estudo busca cartografar noites nômades, percorrer as microguerrilhas no campo artístico onde a música tornou-se o condutor das energias, mapear os territórios-outros compostos por corpos desejantes de re-invenção através de closes. Produzir a partir de dentro desses territórios, trazendo o conhecimento deles mesmos, suas capacidades de acessar linhas de fugas e outrar-se. Acentuando, sobretudo, o distanciamento e os olhares que as coletividades enrijecidas lançam sobre estes grupelhos. É nosso desejo mostrar a micropolítica emergente em determinadas performances culturais e artísticas, em um mundo eivado de controles e destruições. Seguindo os rastros de Deleuze buscamos problematizar a minorização de determinadas expressividades culturais, pontuando as musicalidades menores como distantes da inércia que comumente estão associadas. Atentamos ainda para a ligação existente entre performers e partícipes desses eventos, no intuito de mostrar que aquilo que acontece dentro das festas pode então ser arrastado para fora dos espaços privados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149447 - NORMA MISSAE TAKEUTI
Interno - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Externo à Instituição - ANTÔNIO VLADIMIR FÉLIX DA SILVA - UnP
Notícia cadastrada em: 03/05/2015 08:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao