Banca de DEFESA: ANGELO GIROTTO NETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANGELO GIROTTO NETO
DATA: 19/12/2014
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório B do CCHLA
TÍTULO:

A “VOZ DAS RUAS” E A REARTICULAÇÃO DA IDEOLOGIA CONSERVADORA


PALAVRAS-CHAVES:

Protestos no Brasil em 2013; Hegemonia; Política Brasileira.


PÁGINAS: 147
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Ciência Política
SUBÁREA: Comportamento Político
ESPECIALIDADE: Atitude e Ideologias Políticas
RESUMO:

Os protestos que tiveram curso em junho e julho de 2013, compreendidos como momento das disputas hegemônicas em curso no Brasil, são o objeto deste estudo, no qual pretende-se analisar a ação das forças políticas e sociais que concorreram para a direção das manifestações, relacionando-as a seus respectivos projetos e ideologias. Busca-se ainda compreender como as distintas etapas dos movimentos influenciar no decorrer dos eventos posteriores. Para as constatações pretendidas, procede-se à revisão crítica de autores fundamentais para a compreensão não apenas destes movimentos sociais, como da realidade social e política do Brasil contemporâneo, além da análise de documentos políticos, opinativos e noticiosos veiculados pela mídia e por organizações políticas e depoimentos de lideranças políticas, a exemplo do Pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, em 21 de junho de 2013. Vale-se ainda do aporte de dados secundários de institutos de pesquisa e de dados sócio-econômicos do IBGE. As categorias e conceitos da sociologia política de Antonio Gramsci surgem aqui como aporte teórico da discussão. Com efeito, defende-se a hipótese de que durante o processo de disputa pela direção intelectual e moral das mobilizações de junho de 2013, houve a emergência em cena de determinada ideologia conservadora, com base social na classe média - esforço que teve como principal agente os veículos da mídia hegemônica que atuaram no sentido de um partido político, aqui denominado partido da mídia. A ação destes veículos se valeu de plataformas já presentes nos movimentos, notadamente sua rejeição a organizações e programas políticos, para alçar-se à condição dirigente dos protestos durante determinado período em que fez da corrupção o tema central dos esforços por encetar o Governo Federal no escopo das manifestações. Dada a grandeza das forças e dos interesses que entraram em jogo, o presente estudo contribui para o debate acerca da atualidade brasileira e suas perspectivas, que têm nos Movimentos de Junho um marco tanto político quanto ideológico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6347248 - JOSE ANTONIO SPINELI LINDOZO
Interno - 349734 - JOAO EMANUEL EVANGELISTA DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - RAIMUNDO NONATO CUNHA DE FRANCA - UNEMAT
Notícia cadastrada em: 10/12/2014 08:47
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao