Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSE CLEYTON NEVES LOPES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE CLEYTON NEVES LOPES
DATA: 20/09/2013
HORA: 16:00
LOCAL: Sala de Reuniões do DCS
TÍTULO:

ESTADO E LUTA DE CLASSES NA “PERIFERIA DA PERIFERIA”: uma análise do capitalismo contemporâneo no Rio Grande do Norte


PALAVRAS-CHAVES:

RIO GRANDE DO NORTE; CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO; LUTA DE CLASSES. 


PÁGINAS: 69
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Ciência Política
RESUMO:

Este trabalho se propõe a analisar a relação entre o Estado burguês e a luta de classes no Rio Grande do Norte, inserida nas mudanças geradas pelo capitalismo contemporâneo. Considera-se que estas mudanças, iniciadas em meados de 1970, provocaram a reestruturação do processo produtivo, reorganização das formas de dominação política e ampliação da exploração e espoliação das classes subalternas. Procuramos discernir, descrever e explicar como essas mudanças incidiram na relação entre o Estado norte-rio-grandense e as classes sociais. Visto se tratar de uma formação social localizada na “periferia da periferia” do circuito mundial do capital e, por essa condição, já enfrentara ao longo de sua história efeitos similares. É certo que no capitalismo desenvolvido-central houve ampliação da exploração do trabalho, espoliação de direitos sociais e a aumento da desigualdade social. Todavia, em detrimento do “desenvolvimento geográfico desigual”, estes efeitos do capitalismo contemporâneo foram mais intensos na “periferia da periferia”. Essa é a hipótese desta pesquisa. A fim de confirmarmos isso, partimos do método materialista histórico desenvolvido por alguns teóricos filiados à tradição marxista. Além disso, analisamos dados oficiais publicados pelo Estado norte-rio-grandense, trabalhos monográficos acerca do tema-objeto da pesquisa e fontes auxiliares como jornais e revistas. Os resultados demonstram que no Rio Grande do Norte a “superexploração” do trabalho, a violação de direitos sociais e a concentração de riqueza estiveram sempre presentes nesta formação social. Nesse sentido, notamos que as contradições do capitalismo contemporâneo acirraram ainda mais a luta de classes suscitando, em suma, uma relação contraditória com o Estado e em permanente tensão.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1517561 - GABRIEL EDUARDO VITULLO
Interno - 349734 - JOAO EMANUEL EVANGELISTA DE OLIVEIRA
Interno - 1149332 - LINCOLN MORAES DE SOUZA
Externo ao Programa - 2712875 - ROBERIO PAULINO RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 10/09/2013 12:51
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao