Banca de QUALIFICAÇÃO: LUIS FELIPE FERNANDES BARROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUIS FELIPE FERNANDES BARROS
DATA : 11/04/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório "D" do CCHLA
TÍTULO:

O USO DO TERRITÓRIO POTIGUAR POR SISTEMAS TÉCNICOS EÓLIO-ENERGÉTICOS: CONFLITOS E SOLIDARIEDADES


PALAVRAS-CHAVES:

Energia Eólica; Uso do território; Rio Grande do Norte.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

A compreensão do mundo moderno passa por um amplo conjunto de variáveis que se constituem, muitas vezes, no objeto de estudo de diversos ramos da ciência. No caso da Geografia entender de que forma se dá a ação da humana sobre a superfície terrestre, reestruturando-a e requalificando-a é seu foco. Portanto, a depender do estágio em que se encontra o nível técnico de cada sociedade observa-se distintos usos do território, uns mais intensos, outros mais modestos, mas cada qual com os traços de cada povo, como uma medalha cunhada, como dizia Vidal de La Blache. Até o século XVIII havia um traço em comum a todo o Mundo, a ausência de energia elétrica. Com o advento desta nova técnica a maneira como o ser humano passou a viver na Terra muda completamente e foi necessário criar uma série de estratégias para manter a estabilidade da relação entre oferta e demanda. Com o passar do tempo, o carvão, o gás natural e o petróleo, três das mais importantes fontes de energia de todos os tempos começam a dar sinais de esgotamento e atrelada a questão do “aquecimento global”, segundo os defensores dessa teoria, pela emissão de gases que aumentam o natural “efeito estufa”, o mundo começou a discutir a necessidade de se encontrar novas fontes de energia que sejam do tipo “renovável”. Neste contexto, a energia gerada por fontes hidráulica; solar; biomassa e eólica passam a ser consideradas como as modernas formas de geração de energia. Pode-se falar, portanto, de uma divisão territorial do trabalho, na qual os países se especializam em determinados setores da economia, mas também no tipo de fonte energética a ser utilizada. Uma clara relação entre potencialidades oferecidas pelo meio ecológico e a disponibilidade de técnicas para seu aproveitamento. O Brasil, com enorme potencial hidrelétrico vem investindo maciçamente nesta fonte de energia desde a década de 30 do século passado, e desde o início do século XXI a fonte eólica tem crescido exponencialmente. Desta forma este trabalho tem como foco compreender os conflitos de uso do território decorrentes da sobreposição de materialidades eolioenergéticas sobre o chamado meio rural, em especial aqueles conflitos ligados aos assentamentos rurais. Para tanto, até o momento utilizou-se de pesquisa bibliográfica e análise de matérias jornalísticas a respeito do setor energético. Os resultados preliminares apontam para um tema bastante complexo que abrange desde as questões geopolíticas mundiais até a alteração da dinâmica dos lugares em várias comunidades potiguares, fruto do ingresso impositivo dessa moderna forma de geração de energia elétrica, a partir da força e regularidade dos ventos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1486670 - CELSO DONIZETE LOCATEL
Interno - 1530760 - RAIMUNDO NONATO JUNIOR
Externo à Instituição - SEDEVAL NARDOQUE - UFMS
Notícia cadastrada em: 21/03/2017 11:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao