Banca de DEFESA: YURI MARQUES MACEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YURI MARQUES MACEDO
DATA: 04/03/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Video-Conferência - Superintendência de Informática
TÍTULO:

VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO BAIRRO MÃE LUIZA, NATAL – RN/ BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

Risco; Vulnerabilidade Social; Índice; Exposição Físico-natural; Movimentos de Massa; Socioambiental; Bairro Mãe Luiza; Natal/RN.


PÁGINAS: 175
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

Este trabalho tem como objeto a elaboração de indicadores socioambientais de risco de desastres, presente em áreas de ocupação humana precária, associada à intensa dinâmica ambiental, na perspectiva dos estudos sobre o tema em Geografia. Definiu-se como área de estudo o bairro Mãe Luiza, em Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte. O local foi escolhido como tal por historicamente apresentar diversas condições de vulnerabilidade e exposição ao risco de desastres. Após caracterização socioambiental do local, foram elaborados dois índices: o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS), com base em 17 variáveis dispostas em questionário aplicado ao longo do núcleo populacional do bairro, sobre malha regular (amostragem sistemática), classificado em 5 níveis de VS a partir de média ponderada; e o Índice de Exposição Físico-natural aos Movimentos de Massa (IEMM), o qual teve como base 16 variáveis que caracterizam condições de exposição a movimentos de massa no bairro, em níveis classificados a partir de média ponderada de 1 a 5. A relação entre estes dois resultados, especializados em mapa do bairro, produziu o Índice de Vulnerabilidade Socioambiental (IVSA) de Mãe Luiza, classificado também em 5 níveis, a partir de lógica boleana de correlação para sobreposição cartográfica, com uso de software computacional ArcGIS v.9.3, sendo nomeadas como: Muito Baixa; Baixa; Média; Alta; e Muito Alta Vulnerabilidade Socioambiental no bairro. O estudo se baseia em metodologia proposta po Guerra et al (2009) para o IEMM e Almeida (2010) para o IVS, que foram modificadas e adaptadas para a realidade local, produzindo uma inédita metodologia aplicada nesta área. Concluiu-se que o bairro tem maior parte de sua área com Alta e Muito Alta Vulnerabilidade socioambiental a desastres, sendo definidas sete (7) áreas críticas, com Muito Alto IVSA, e perigos associados a movimentos de massa ou alagamento. Ao final elencou-se os principais problemas socioambientais encontrados, como elementos geradores para a proposição de medidas mitigadoras e/ou intervenções propostas, referentes a fatores de vulnerabilidade de ordem estruturais: como baixo padrão construtivo das residências; drenagem urbana deficiente; imóveis abandonas em vias de desabamento;  infraestura das vias de acesso e contenção de talude. E sociais: como falta de educação sobre risco socioambiental; renda e escolaridade dos moradores; presença de pessoas com dificuldade de locomoção e/ou portadores de necessidade especiais. Esta realidade evidencia a necessidade de ações urgentes aplicadas na resolução e/ou diminuição dos problemas apontados, o que é palta ao final deste trabalho.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1803535 - ADRIANO LIMA TROLEIS
Externo à Instituição - ANDRÉ DE SOUZA AVELAR - UFRJ
Presidente - 1692459 - ERMINIO FERNANDES
Notícia cadastrada em: 19/02/2015 10:01
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao