Banca de DEFESA: OHANA LETÍCIA TAVARES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : OHANA LETÍCIA TAVARES DA SILVA
DATA : 30/04/2024
HORA: 14:30
LOCAL: Videoconferência - Link para acesso: https://meet.google.com/cyu-epdp-opm
TÍTULO:

 Explorando o potencial farmacológico de dissacarídeos de carragenanas como agentes antitumorais: uma abordagem in sílico



PALAVRAS-CHAVES:

 polissacarídeos sulfatados; câncer; bioinformática; algas vermelhas



PÁGINAS: 63
RESUMO:

 Carregenanas, galactanas sulfatadas, tem atividade antitumoral que pode ser aumentada com sua despolimerização. Isso faz com que seus oligossacarídeos, inclusive dissacarídeos, por serem menos complexos estruturalmente, possam ter potencial farmacológico no tratamento de diferentes neoplasias. No entanto, ainda não se sabe se esses dissacarídeos/oligossacarídeos são farmacologicamente viáveis e por quais mecanismos eles atuam para inibir o crescimento tumoral. Nesse sentido, objetivou-se com esse trabalho utilizar ferramentas de bioinformática para investigar as propriedades farmacológicas e possíveis alvos moleculares de dissacarídeos mais representativos das carragenanas iota, kappa e lambda. Para isso, inicialmente o perfil farmacocinético e as propriedades físico-químicas semelhantes à de fármacos dos dissacarídeos foram previstas. Em seguida, previu-se os alvos moleculares desses dissacarídeos, dos quais foram selecionados aqueles que já são alvos de fármacos oncológicos. Para avaliar a capacidade e a afinidade de ligação entre os alvos selecionados e os dissacarídeos, realizou-se docking molecular, e para análise comparativa das energias de ligação, os fármacos oncológicos que atuam sobre esses alvos também foram submetidos a docking. De forma geral, os dissacarídeos apresentaram metabolização, excreção e toxicidade favoráveis, mas enfrentam desafios de permeabilidade em membranas biológicas, o que afeta sua absorção e distribuição. Além disso, eles atendem à maioria dos critérios físico-químicos propostos nos testes de semelhança com fármacos, exceto pela polaridade e lipofilicidade, que ficaram acima e abaixo dos limites desejáveis, respectivamente. Na seleção dos alvos moleculares, cinco alvos comuns foram previstos, as anidrases carbônicas (CAs) I, II, IX, XII e XIV, que já são alvo de inibição de diversos fármacos oncológicos. No docking, as energias de ligação foram semelhantes ou melhores que a dos fármacos já utilizados para esses alvos. Sobre as interações feitas entre os dissacarídeos e as CAs, destacam-se as com cofator zinco, já que é a principal forma de inibir essas enzimas. Essas descobertas apontam um caminho promissor para dissacarídeos de carragenanas como agentes terapêuticos contra o câncer.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2195251 - HUGO ALEXANDRE DE OLIVEIRA ROCHA
Externo à Instituição - LEANDRO SILVA COSTA - IFRN
Externo à Instituição - ÉDER GALINARI FERREIRA - UFOP
Notícia cadastrada em: 29/04/2024 16:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao