Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO CARLOS DA SILVA JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO CARLOS DA SILVA JUNIOR
DATA : 29/07/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência - Link para acesso: https://meet.google.com/osn-iwen-jmr
TÍTULO:

Um olhar além da prioridade: Uma investigação abrangente da toxicidade do reteno

 

PALAVRAS-CHAVES:

HPA, Reteno, Não-prioritário, Endpoints de toxicidade, Avaliação de risco.


PÁGINAS: 228
RESUMO:

Os Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs) são uma ampla classe de compostos químicos com significativo potencial mutagênico e carcinogênico, prejudicando assim o bem-estar do ser humano. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos inclui 16 HPAs prioritários nas avaliações de risco e analises de rotina ambiental. O reteno (1-metil-7-isopropilfenantreno; RET), um HPA não prioritário, é um dos HPAs mais amplamente produzidos após incêndios florestais. Atualmente, os endpoints tóxicos do RET permanecem incertos, especialmente focando na saúde humana. Portanto, dividido em quatro capítulos, o objetivo deste trabalho é investigar de forma abrangente os endpoints tóxicos do RET. No primeiro capítulo, por meio de uma revisão sistemática, foi demonstrado que grande parte do conhecimento sobre os HPAs se restringe aos prioritários; entretanto, existem outros HPAs não prioritários no meio ambiente, cujos potenciais mutagênicos e carcinogênicos são subestimados nas avaliações de risco e análises de rotina ambiental, incluindo o RET. No segundo capítulo, usando células de pulmão humano (A549), os resultados revelaram que o RET pode diminuir significativamente a viabilidade celular, bem como aumentar o potencial de membrana mitocondrial e o conteúdo mitocondrial, levando a um aumento na produção de espécies reativas de oxigênio (ERO). Além disso, RET levou a um aumento significativo na frequência de mutações cromossômicas, como micronúcleos (MN), pontes nucleoplásmicas (PNs) e brotos nucleares (BNs), além de morte celular, principalmente por necrose. O terceiro capítulo mostrou, usando uma AOP framework (do inglês, Adverse Outcome Pathway framework), bem como através da análise in-silico de genes diferencialmente expressos, redes de interação e análise do perfil transcricional em células A549, que RET induziu variações em vários genes relacionados ao metabolismo, transcrição e controle traducional, estresse oxidativo, ciclo celular, replicação e reparo do DNA. Os genes envolvidos nesses processos podem explicar os fenótipos tóxicos desencadeados pela exposição a esse HPA. No quarto capítulo, usando o zebrafish (Danio rerio) como modelo experimental, RET induziu aumento na frequência de micronúcleos em eritrócitos e forneceu novas evidências sugerindo alterações comportamentais devido a mudanças no estado redox e na expressão de RNAm dos sistemas neurotransmissores em cérebros de zebrafish. Em geral, esses resultados reforçam o risco representado por HPAs não prioritários, especialmente aqueles cujos potenciais tóxicos permanecem subestimados, destacando a importância de incluir RET nas avaliações de risco e nas análises ambientais de rotina no futuro.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1674709 - VIVIANE SOUZA DO AMARAL
Interna - 1549705 - ADRIANA FERREIRA UCHOA
Externa à Instituição - JULIANA DA SILVA - ULBRA
Notícia cadastrada em: 19/07/2022 14:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao