Banca de DEFESA: JOSÉ EURICO DE QUEIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ EURICO DE QUEIROS
DATA: 15/12/2015
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do CT
TÍTULO:

Avaliação do desempenho de argamassas à base de cimento Portland para rejuntamento de placas cerâmicas tipo II com adição de pó de borracha de pneus


PALAVRAS-CHAVES:

Argamassa. Pó de borracha, rejuntamento, resíduo.


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Civil
SUBÁREA: Construção Civil
ESPECIALIDADE: Materiais e Componentes de Construção
RESUMO:

Neste trabalho, avalia-se o desempenho de argamassas à base de cimento Portland para rejuntamento de placas cerâmicas tipo II com adição de pó de borracha de pneus inservíveis. Apresenta-se uma revisão bibliográfica sobre o tema (SEGRE, 1999; MENEGUINI, 2003; FERREIRA, 2009; GUIMARÃES, 1997; FIORITO, 1994), em que se faz a ancoragem teórico-metodológica de todo o processo investigativo. O universo analisado compreende uma amostra de argamassa para rejuntamento de placas cerâmicas tipo II convencional (amostra de referência) e de mais cinco amostras de argamassas para rejuntamento de placas cerâmicas tipo II, compostas com adição de pó de borracha de pneu inservíveis, nas respectivas proporções de 4, 8, 12, 16 e 20 %.

Essas amostras de argamassas foram submetidas aos ensaios de determinação do índice de consistência (NBR 13276:2005), retenção de água (NBR 14992 Anexo B:2003), permeabilidade aos 240 minutos (NBR 14992 Anexo G:2003), Absorção de água por imersão (NBR 9781:2013), resistência à compressão (NBR 14992 Anexo D:2003), resistência à tração na flexão (NBR 13279:2005), resistência de aderência à tração (NBR 14081 Parte 4:2012) e densidade de massa no estado endurecido (NBR 13280:2005). Constatou-se, a partir das análises dos resultados obtidos nos ensaios, a seguinte situação: a argamassa de referência utilizada atendeu às exigências estabelecidas nas normas de especificações correspondentes para apenas seis do total de oito parâmetros avaliados na pesquisa; a argamassa com adição de 4,0 % de pó de borracha de pneu atendeu às exigências estabelecidas nas normas de especificações correspondentes para, apenas, a resistência à compressão e a resistência de aderência à tração; as demais argamassas com adição de 8,0 %, 12,0 %, 16,0 % e 20,0 % de pó de borracha de pneu atenderam às exigências das normas de especificações correspondentes, apenas quanto à resistência de aderência à tração. Esse resultado evidencia a conclusão de que a adição de pó de borracha de pneu não confere melhoria de desempenho às argamassas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Interno - 022.621.844-96 - MARCOS ALYSSANDRO SOARES DOS ANJOS - IFRN
Externo à Instituição - EDILBERTO VITORINO DE BORJA - IFRN
Notícia cadastrada em: 26/11/2015 13:12
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao