Banca de DEFESA: ALINE DAYANE LEONEZ GONÇALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALINE DAYANE LEONEZ GONÇALVES
DATA : 19/03/2021
HORA: 15:00
LOCAL: https://meet.google.com/zje-fpef-zrp
TÍTULO:

A ASSOCIAÇÃO ENTRE A ÉTICA CORPORATIVA E A EFICIÊNCIA ECONÔMICO-FINANCEIRA: UMA ANÁLISE EM COMPANHIAS BRASILEIRAS LISTADAS NA B3


PALAVRAS-CHAVES:

Ética Corporativa; Código de ética; Eficiência Econômico-financeira; Teoria da Sinalização; Teoria da Agência; Análise de Correspondência.


PÁGINAS: 101
RESUMO:

O objetivo do presente estudo é identificar a associação entre a ética corporativa e a eficiência econômico-financeira das empresas. Assim, com base nas Teorias da Sinalização e da Agência, é possível inferir que a implantação e a divulgação de códigos de ética com qualidade, além de ser utilizado como mecanismo de controle de riscos, tem fundamental importância para apresentar maior credibilidade para o mercado, podendo, assim,influenciar nos resultados financeiros e econômicos das entidades. Para analisar se a implantação de um código de ética de qualidade pode de fato influenciar nos resultados econômico-financeiros, analisou-se uma amostra de 201 empresas brasileiras não-financeiras listadas na Bolsa de Valores do Brasil (B3). Primeiramente, verificou-se aqualidade dos códigos de ética divulgados pelas empresas em 2018 com base em ummodelo de pontuação numérica, resultante da soma da quantidade de critérios atendidos preestabelecidos por órgãos reguladores. Em seguida, identificou-se o escore de eficiência econômico-financeira, utilizando a Análise Envoltória de Dados (DEA) e informações coletadas dos relatórios financeiros, do período de 2015 a 2019, divulgados pelas empresas em estudo, sendo considerados como Inputs - Despesas Operacionais, Capital de Terceiros e Capital Próprio - e como Outputs - Vendas Líquidas e Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais. Por fim, fez-se a relação entre o indicador da qualidade do código de ética com o escore de eficiência econômico-financeira através da Análise de Correspondência (ANACOR). Desse modo, pode-se concluir que, em média, as empresas apresentaram indicador de qualidade (QCE) moderado, com 42,78% apresentando indicador de qualidade satisfatória. Já em relação à eficiência econômico-financeira, apenas 15,92% das empresas foram eficientes nos períodos analisados e 52,24% apresentaram escores (SE) baixos. Contudo, ao analisar a associação entre as duas variáveis (QCE e SE), não foi possível afirmar que há uma relação positiva entre as variáveis observadas. Assim, não foi possível validar a afirmação teórica de que a qualidade do código de ética influencia positivamente nos resultados econômico-financeiros das empresas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2814007 - RENATO HENRIQUE GURGEL MOTA
Interno - 3220688 - ALEXANDRO BARBOSA
Externo à Instituição - LILIAN PEROBON MAZZER - UEPB
Notícia cadastrada em: 03/03/2021 11:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao