Banca de DEFESA: CARLOS EDUARDO CAVALCANTE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLOS EDUARDO CAVALCANTE
DATA: 04/10/2012
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do Nepsa
TÍTULO:

MODELO ESTRUTURAL DE MOTIVAÇÃO NO TRABALHO VOLUNTÁRIO> EXPECTATIVAS E MOTIVOS DE VOLUNTÁRIOS DA PASTORAL DA CRIANÇA


PALAVRAS-CHAVES:

trabalho voluntário; motivação no trabalho
voluntário; gestão de ONGs


PÁGINAS: 202
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO:

presente estudo propôs modelo estrutural que identificasse os motivos
que levam indivíduos a se tornar voluntário, manter-se e deixar de
executar tal tipo de trabalho. O espaço empírico foi a Pastoral da
Criança - Organismo de ação social da Conferência Nacional dos
Bispos do Brasil (CNBB) - instituição de base comunitária que tem seu
trabalho baseado na solidariedade e na partilha do saber. O referencial
teórico apresentou o contexto no qual está o voluntariado, em nível
mundial e nacional. Em seguida discutiu os diversos conceitos de
voluntariado e apresentou os modelos teóricos de motivação
voluntária.Os estudos de Mostyn (1983) e os estudos conduzidos pela
BEPEGE - Base de Estudos e Pesquisas em Estratégias e Políticas de
Gestão na sua linha de pesquisa GERQUAL - Gestão de Recursos Humanos
e Qualidade Organizacional da Universidade Federal do Rio Grande do
Norte como Carvalho e Souza(2006), Souza, Medeiros e Fernandes (2006),
Souza et al (2009, 2010), Cavalcante et al (2011a, 2011b, 2011c, 2011d)
foram as principais referências teóricas para a construção do modelo
que foi testado.A coleta de dados foi feita por meio de questionário
fechado com 71 indicadores, em 2 visitas a cidades da Diocese de
Pesqueira/PE. A primeira coleta de dados ocorreu no período entre 30 de
maio e 3 de junho de 2011, na cidade Buique /PE e a segunda coleta
aconteceu na cidade de Pesqueira/PE, no Seminário São José, no
período entre 6 e 8 de julho de 2011. Foram coletados 720
questionários. A amostra foi dividida em duas partes. Na primeira foi
feita a Análise Fatorial Exploratória e na segunda a Análise Fatorial
Confirmatória, por meio da Modelagem das Equações Estruturais. O
exame dos resultados alcançados pelos modelos das expectativas, dos
motivos de entrada, dos motivos de permanência e dos motivos de saída
permite afirmar que todas as hipóteses foram aceitas. Assim a
motivação do voluntário da Pastoral da Criança pode ser explicada
por um conjunto de interações entre esses cinco constructos:
Altruísmo, Afetivo, Amigável, Ajustado e Ajuizado.

 



MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1543333 - ANDERSON LUIZ REZENDE MOL
Externo ao Programa - 1715135 - JOANA TEREZA VAZ DE MOURA
Externo à Instituição - MARCO AURÉLIO MARQUES FERREIRA - UFV
Externo à Instituição - THIAGO FERREIRA DIAS - UFERSA
Presidente - 1169358 - WASHINGTON JOSE DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 11/09/2012 10:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao