Banca de DEFESA: PATRICIA KARLA DE MESQUITA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: PATRICIA KARLA DE MESQUITA SILVA

DATA: 04/10/2010

HORA: 15:00

LOCAL: nepsa

TÍTULO:

COMUNICAÇÃO INTERNA EM EMPRENDIMENTO HOTELEIRO: UM ENFOQUE GERENCIAL


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaves: Comunicação interna. Gestão. Empreendimento hoteleiro.


PÁGINAS: 94

GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas

ÁREA: Administração

RESUMO:

A globalização, que elevou os mercados a uma posição de competição e troca nunca
antes vivenciada, impôs também uma série de adaptações que tem transformado
as organizações sistemas sociais cada vez mais complexos. Nesse cenário, a comunicação
tem merecido atenção por parte dos gestores modernos. Pesquisas indicam
que alguns setores de atividades, mais do que outros, dependem da comunicação
como uma ferramenta para a obtenção de suas metas. O setor turístico, localizado
no segmento de serviços, se configura como uma destas atividades, da qual a
hotelaria é parte do composto de produtos. Com a intenção de reconhecer estes aspectos
buscou-se neste estudo analisar as características da comunicação interna
em um empreendimento Hoteleiro, na perspectiva gerencial. Para tentar se responder
a tal objetivo construiu-se um referencial baseado em autores que discorrem sobre
a comunicação organizacional, a comunicação interna e empreendimentos hoteleiros.
Para efeito da pesquisa escolheu-se uma unidade de estudo para avaliar a
visão dos gerentes com relação à temática. Na unidade pesquisada buscou-se apreender
tais significações por meio da realização de entrevistas com um grupo de
gerentes da organização e da análise de documentos. Os dados obtidos foram analisados
através da análise de conteúdo de Bardin (1977), com a técnica da análise
categorial, já que se pretendeu apreender aspectos que permitissem a descrição do
conteúdo das mensagens. Os resultados encontrados apontaram para uma realidade
organizacional baseada fortemente na oralidade, que convive constantemente
com ruídos e que usa a comunicação para regular comportamentos. Com pouca ou
nenhuma reflexão gerencial sobre a comunicação inferiu-se que os subordinados
não devem absorver completamente as mensagens, fenômeno que pode ser o responsável
pela não efetivação completa das mesmas. Além disso, percebeu-se que a
organização estudada não planeja sua comunicação, uma vez que, ainda não a enxerga
como uma ferramenta estratégica para atingir suas metas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FERNANDA FERNANDES GURGEL - UnP
Externo ao Programa - 1372521 - MARIA VALERIA PEREIRA DE ARAUJO
Presidente - 1149626 - MAURO LEMUEL DE OLIVEIRA ALEXANDRE
Notícia cadastrada em: 23/09/2010 15:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao