Banca de DEFESA: INGRID WILZA LEAL BEZERRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INGRID WILZA LEAL BEZERRA
DATA: 17/09/2015
HORA: 15:00
LOCAL: NEPSA
TÍTULO:

Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador no Rio Grande do Norte


PALAVRAS-CHAVES:

Administração pública. Políticas Públicas. Programa de Alimentação do Trabalhador. Estado nutricional.


PÁGINAS: 142
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO:

O Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) é referido como a principal política de Segurança Alimentar e Nutricional voltado para o atendimento das classes trabalhadoras e tem como objetivo a melhoria da situação nutricional dos trabalhadores. São atendidos atualmente pelo PAT cerca de 19 milhões de trabalhadores em todo o Brasil, o que dá uma ideia da sua dimensão e importância. No Rio Grande do Norte, estima-se que aproximadamente 120 mil trabalhadores sejam beneficiados. Ainda assim, não há registros de estudos de análise do Programa no Estado. Diante disso, a presente tese desenvolveu uma avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador no Rio Grande do Norte, tendo como objetivo avaliar o seu impacto sobre o estado nutricional dos trabalhadores beneficiados. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa observacional, transversal e prospectiva com base numa amostra aleatória probabilística, estratificada, em multi-estágios e comparativa entre indústrias de pequeno e médio porte, do Setor de Transformação (têxteis, alimentos e bebidas, e minerais não-metálicos) do RN, divididas igualmente em dois grupos (PAT e Não PAT), num total de 26 empresas. As entrevistas foram realizadas por entrevistadores treinados e ocorreram de terça a sábado, entre setembro e dezembro de 2014, em cada empresa, em local definido para este fim. Foram coletados dados das empresas (de caracterização e de informações que se relacionem com os resultados almejados pelo Programa) e dos trabalhadores (informações pessoais, profissionais, antropométricas, de saúde, estilo de vida e do consumo alimentar do dia anterior). As informações obtidas foram organizadas em banco de dados no programa Microsoft Excel® e a análise estatística realizada pelo Stata® 11.0. Foram calculadas estimativas populacionais, para o RN, das características dos trabalhadores e das variáveis do estudo. As estimativas dos erros padrão foram corrigidas para o agrupamento dos trabalhadores em cada indústria, com base no coeficiente de correlação intraclasse; e para amostragem sem reposição, utilizando-se o fator de correção para populações finitas baseado no total de indústrias segundo o subsetor de atividade econômica no Estado e no total de trabalhadores de cada indústria selecionada para o estudo. A variável principal foi o IMC. As variáveis secundárias foram a circunferência abdominal, o diagnóstico nutricional, a ingestão calórica, a pressão arterial, as variáveis metabólicas e os indicadores de estilo de vida. O método estatístico utilizado foi a regressão linear de efeitos mistos hierárquica para as variáveis de intervalos e a regressão logística de efeitos mistos hierárquica para as variáveis binárias. As variáveis medidas em escalas ordinais foram analisadas por regressão logística ordinal ajustada para variáveis correlatas, adotando-se erros padrão robustos. Os resultados para as variáveis de intervalos, estão apresentados como estimativas pontuais e seus intervalos de confiança de 95%; e como odds-ratios e seus intervalos de confiança de 95% para as variáveis binárias. Para comparações simples entre proporções e entre médias foram usados, respectivamente, os testes exato de Fisher e o teste-t de Student. Foram consideradas estatisticamente significativas as diferenças com p<0,05. Todos os testes foram bicaudais. Foram entrevistados 1069 trabalhadores, sendo 541 do grupo PAT e 528 do grupo Não PAT com média de idade de 34,5 anos, sexo masculino foi predominante nos dois grupos, foram observadas diferenças significantes entre os grupos quanto ao grau de escolaridade, à renda superior a 1 SM e à formação específica para o cargo que ocupa na empresa. Os resultados demonstraram diferenças significantes entre o IMC dos trabalhadores beneficiados, que foram em média 0,989 kg/m2 mais elevado do que o IMC dos trabalhadores do grupo não PAT (p=0,002); e entre a CABd, cujas medidas dos trabalhadores do grupo PAT foram em média 1,528 cm maior (p<0,05). Maiores prevalências de sobrepeso e obesidade (p<0,001) e risco cardiovascular (p=0,038) foram constatadas no grupo PAT. Testes de possível efeito do PAT sobre indicadores de saúde (pressão arterial e indicadores metabólicos) e de estilo de vida (hábito de fumar, consumo de álcool e prática de atividade física) não foram significantes. Com relação à alimentação dos trabalhadores, foram significantes as diferenças no consumo alimentar de gordura saturada (almoço e consumo diário), sódio (almoço, demais refeições e consumo diário) e proteínas (Demais refeições e consumo diário), sendo o consumo desses nutrientes menor no grupo PAT. O estudo demonstrou um possível impacto positivo do PAT sobre o estado nutricional (IMC e CAbd) entre trabalhadores beneficiados. Não foram observados possíveis efeitos do Programa sobre os indicadores de estilo de vida pesquisados. Trabalhadores beneficiados apresentaram menor consumo de sódio, gordura saturada e proteína. Reconhece-se a relevância do PAT para essa parcela da sociedade e entende-se que, se ele tem alcance e impacto sobre a sua clientela, é possível que o desenvolvimento de ações de educação para a segurança alimentar e nutricional também possam exercer influência positiva.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO MANUEL GOUVEIA DE OLIVEIRA - UNL
Externo à Instituição - IRACEMA SANTOS VELOSO - UFBA
Externo ao Programa - 1474874 - JANAINA DA SILVA ALVES
Presidente - 1510488 - LUCIANO MENEZES BEZERRA SAMPAIO
Externo ao Programa - 1894891 - RAQUEL MENEZES BEZERRA SAMPAIO
Notícia cadastrada em: 04/09/2015 11:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao