Banca de DEFESA: LIDIANNY MICHELLE DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LIDIANNY MICHELLE DA SILVA
DATA : 14/02/2023
HORA: 10:00
LOCAL: Online - link: https://meet.google.com/sdg-fwih-nbd
TÍTULO:

Avaliação formativa no internato de medicina


PALAVRAS-CHAVES:

Avaliação educacional; Educação médica; Internato médico.


PÁGINAS: 63
RESUMO:

Introdução: A avaliação formativa é um processo ativo na formação do profissional, na medida em que envolve a apropriação do conhecimento, atribuindo significado. Objetivo: Compreender o processo de avaliação formativa no internato do curso de graduação em medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Método: Trata-se de uma pesquisa observacional, com abordagem quantitativa. Foi aplicado um questionário para os docentes e outro para os discentes, no período de junho a dezembro de 2021 com questões abertas e fechadas sobre o uso da avaliação formativa. Resultados: Uma narrativa digital contendo um checklist sobre avaliação formativa foi desenhada, como produto do mestrado, para orientar o corpo docente e discente sobre o uso desta. Participaram da pesquisa 27 docentes e 79 discentes. Docentes e discentes têm percepções diferentes sobre a realização da avaliação formativa, objetivos, métodos e instrumentos utilizados. Os docentes têm uma percepção mais positiva que seus alunos, 51,9% deles atribuem pontuação muito (8-10) para o uso de avaliação formativa, enquanto o muito é atribuído para 41,7% dos discentes do 5º ano e 35,5% dos discentes do 6º ano. Da mesma forma em relação a definir os objetivos de aprendizagem, onde 70,4% dos docentes atribuíram muito, enquanto apenas 25% e 16,1% respectivamente do 5º e 6º ano reconhecem que são apresentados a estes. Docentes e discentes também têm percepções diferentes em relação ao feedback e uso de TICs na avaliação formativa, pois enquanto 70,4% atribuíram muito para realização do feedback, apenas 27,1% e 16,1% dos internos do 5º e 6º respectivamente, pontuaram muito para o feedback. Já o uso de TICs foi percebido como razoável (3-7) por 44,4% dos docentes e muito pela maioria dos discentes. Discussão de casos foi o método mais reconhecido por ambos. Conclusão: O conhecimento sobre o caminho desenvolvido da avaliação formativa no internato de medicina possibilita aprimorar o processo e construir novos projetos. Docentes e discentes identificaram oportunidades de melhoria, a qual demanda capacitação docente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645299 - MARISE REIS DE FREITAS
Interno - 2171948 - PAULO JOSE DE MEDEIROS
Externo à Instituição - IEDA MARIA BARBOSA ALELUIA - EBMSP
Notícia cadastrada em: 20/01/2023 10:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao