Projeto Pedagógico do Curso

Este Projeto Pedagógico visa à formação de um profissional com um caráter generalista, abrangendo incursões nos universos da edificação, do urbanismo, do paisagismo, do patrimônio histórico, cultural e ambiental. Este profissional deve ser criativo e dotado de visão crítica; capaz de desenvolver uma linguagem própria; consciente da realidade ambiental, social, econômica, técnica e cultural onde vai atuar; sensível às experiências do passado e com habilidades para transformar ideias em materializações no espaço arquitetônicoterritorial. O perfil assim definido está plenamente condizente com as exigências da DCN para Arquitetura e Urbanismo.

    O documento das DCN de Arquitetura e Urbanismo lista as competências e habilidades que deverão possibilitar a formação do Arquiteto e Urbanista. Estas competências e habilidades, adotadas para efeito do presente PPC, podem ser resumidas da seguinte forma: O arquiteto e urbanista deve ter a competência profissional para o bom exercício das atividades de supervisão, orientação técnica, coordenação, planejamento, projetos, especificações, direção, execução de obras, ensino, assessoria, consultoria, vistoria, perícia e avaliação, referentes a edificações, conjuntos arquitetônicos e monumentos, arquitetura de interiores, urbanismo, planejamento físico, urbano e regional, desenvolvimento urbano e regional, paisagismo e trânsito. (PPC A5, 2006, p.16) 39 A formação do Arquiteto e Urbanista deve levá-lo a compreender: ● As relações entre pessoas, bem como entre elas e os edifícios, entre edifícios e o seu entorno e a necessidade de relacionar os edifícios-espaços onde estão inseridas pessoas; ● O seu papel ético e social no desenvolvimento de suas atividades profissionais; ● Os métodos de pesquisa e de elaboração de planos de intervenções e/ou projetos; ● O projeto estrutural, problemas construtivos e de engenharia associados ao projeto físico-territorial e de edificações; ● Os fenômenos físicos, as tecnologias e o funcionamento dos edifícios e dos espaços públicos, para provê-los de condições de conforto, de proteção climática e de eficiência energética; ● As exigências dos usuários associadas às restrições econômicas e legais pertinentes a intervenções físico-territoriais; ● Os processos de fabricação, organização, regulamentos e procedimentos envolvidos no planejamento e na projetação; construção de edifícios e espaços públicos. Além disso, é importante fazer referência às competências e habilidades preconizadas pelas DCN de Arquitetura e Urbanismo, as quais possibilitam a compreensão da complexidade da formação de qualidade do profissional Arquiteto e Urbanista. I - o conhecimento dos aspectos antropológicos, sociológicos e econômicos relevantes e de todo o espectro de necessidades, aspirações e expectativas individuais e coletivas quanto ao ambiente construído; II - a compreensão das questões que informam as ações de preservação da paisagem e de avaliação dos impactos no meio ambiente, com vistas ao equilíbrio ecológico e ao desenvolvimento sustentável; III - as habilidades necessárias para conceber projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo e para realizar construções, considerando os fatores de custo, de durabilidade, de manutenção e de especificações, bem como os regulamentos legais, de modo a satisfazer as exigências culturais, econômicas, estéticas, técnicas, ambientais e de acessibilidade dos usuários; 40 IV - o conhecimento da história das artes e da estética, suscetível de influenciar a qualidade da concepção e da prática de arquitetura, urbanismo e paisagismo; V - os conhecimentos de teoria e de história da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo, considerando sua produção no contexto social, cultural, político e econômico e tendo como objetivo a reflexão crítica e a pesquisa; VI - o domínio de técnicas e metodologias de pesquisa em planejamento urbano e regional, urbanismo e desenho urbano, bem como a compreensão dos sistemas de infraestrutura e de trânsito, necessários para a concepção de estudos, análises e planos de intervenção no espaço urbano, metropolitano e regional; VII - os conhecimentos especializados para o emprego adequado e econômico dos materiais de construção e das técnicas e sistemas construtivos, para a definição de instalações e equipamentos prediais, para a organização de obras e canteiros e para a implantação de infraestrutura urbana; VIII - a compreensão dos sistemas estruturais e o domínio da concepção e do projeto estrutural, tendo por fundamento os estudos de resistência dos materiais, estabilidade das construções e fundações; IX - o entendimento das condições climáticas, acústicas, lumínicas e energéticas e o domínio das técnicas apropriadas a elas associadas; X - as práticas projetuais e as soluções tecnológicas para a preservação, conservação, restauração, reconstrução, reabilitação e reutilização de edificações, conjuntos e cidades; XI - as habilidades de desenho e o domínio da geometria, de suas aplicações e de outros meios de expressão e representação, tais como perspectiva, modelagem, maquetes, modelos e imagens virtuais; XII - o conhecimento dos instrumentais de informática para tratamento de informações e representação aplicada à arquitetura, ao urbanismo, ao paisagismo e ao planejamento urbano e regional; XIII - a habilidade na elaboração e instrumental na feitura e interpretação de levantamentos topográficos, com a utilização de aerofotogrametria, fotointerpretação e 41 sensoriamento remoto, necessários na realização de projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo e no planejamento urbano e regional.

A apresentação da metodologia idealizada constitui o diferencial deste PPC. Descreveremos aqui os procedimentos metodológicos sobre os quais o curso deve se desenvolver, alicerçados no princípio da integração. No “A6” foi determinado que as temáticas, que até o “A5” eram definidas por semestre, passariam a ser por ano, da seguinte forma: ● Primeiro ano - Percepção e Representação; ● Segundo ano - Arquitetura e Meio Ambiente; 42 ● Terceiro ano - Espaço, Sociedade e Tecnologia; ● Quarto ano - Projetos Complexos; ● Quinto ano - Enfoque Livre. As temáticas anuais reforçam qual momento do curso as competências e habilidades vão sendo desenvolvidas. Considerando que nos primeiros dois anos do curso, são ministrados os componentes curriculares de fundamentação, neles estão concentrados os conteúdos relacionados ao desenho e meios de expressão e de representação para o projeto, bem como conteúdos introdutórios de arquitetura, urbanismo e paisagismo. Permeando todo o curso, encontram-se os componentes curriculares de formação, nos quais são desenvolvidos os conhecimentos de teoria e de história da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo; o entendimento das condições climáticas, acústicas, lumínicas e energéticas; assim como o conhecimento acerca dos sistemas estruturais da resistência dos materiais e instalações. As habilidades necessárias para conceber projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo e para realizar a síntese de conhecimentos que é própria da ação projetual, são desenvolvidas nos componentes curriculares denominados de projeto integrado (para mais informações, consultar o PPC do curso, disponibilizado para baixar, nesta página).

      O Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo tem uma vinculação forte com o Departamento de Arquitetura e com os cursos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Com eles, divide a infraestrutura e pessoal disponível, além de contar com o apoio da Direção do Centro de Tecnologia. O funcionamento institucional pressupõe que a gestão acadêmica disponibilize as condições mínimas para funcionamento, pois as mesmas interferem diretamente na qualidade acadêmica. Atualmente, o funcionamento do curso encontra condições aceitáveis no Centro de Tecnologia que, em caso de expansão, necessitarão de adequação. Outro aspecto a ser ressaltado é a relação professor x aluno. Para os cursos de arquitetura e urbanismo no Brasil tem sido recomendado pela ABEA que seja adotado a média de 15 alunos por professor, pois esse quantitativo tem se mostrado como o mais adequado para as atividades de atelier dentro das disciplinas de projeto. Em relação aos componentes curriculares teóricos, esta relação pode se adequar a uma sala de aula convencional, como qualquer outro curso de graduação. O curso de Arquitetura e Urbanismo da UFRN respeita 89 essas proporcionalidades, principalmente no projeto integrado, quando se tem vários professores em sala de aula nas orientações de trabalho e durante os processos avaliativos. Quanto ao processo avaliativo mais geral, as práticas acadêmicas estão incorporadas ao cotidiano do Curso. As avaliações ocorrem semestralmente a partir das convocações conjuntas do Departamento de Arquitetura, onde são apresentados os relatos do planejamento do semestre, ou nas reuniões por área de estudo, que ocorrem com periodicidade variada ao longo do período letivo e depende de cada grupo de professores. Em caso de situações mais complexas, sempre são demandadas a interveniência externa de observadores ou da CPA (para mais informações, consultar o PPC do curso, disponibilizado para baixar, nesta página).

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao