PPGDEM/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DEMOGRAFIA ADMINISTRAÇÃO DO CCET Telefone/Ramal: (84) 99474-6779 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgdem

Banca de QUALIFICAÇÃO: GABRIEL DIAS BRAGA MESQUITA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GABRIEL DIAS BRAGA MESQUITA
DATA : 30/01/2023
HORA: 14:30
LOCAL: Videoconferência via PPGDem/UFRN
TÍTULO:

A relação das causas externas com a corcunda de mortalidade e o impacto delas na variabilidade da idade à morte no Brasil de 2000 a 2020


PALAVRAS-CHAVES:

 mortalidade; corcunda; retangularização; compressão


PÁGINAS: 37
RESUMO:

No século XX foi observada uma redução significativa na variabilidade da idade à morte em países desenvolvidos, o que pode ser atribuída ao declínio histórico do risco de morte em quase todas as idades do curso da vida humana. Esse processo de redução na variabilidade da idade à morte significa que houve uma diminuição da dispersão de óbitos por idade ao redor de um valor médio, mediano ou modal de idade à morte de indivíduos em uma população. Essa diminuição é um dos pressupostos para o processo de compressão da mortalidade. Outro pressuposto do processo de compressão seria que a vida humana teria um limite biológico de longevidade, o que aproximaria a forma da função de sobrevivência a uma forma mais retangular, processo denominado de retangularização da curva de sobrevivência. Em contrapartida, outros autores defendem que o processo de retangularização não implica na existência de um limite biológico para a longevidade. Portanto, o processo de retangularização poderia ocorrer mesmo com um deslocamento dos óbitos para idades cada vez mais avançadas, teoria denominada de shifting mortality, que ganhou notoriedade mais recentemente, pois o processo de compressão não possui hipóteses formais bem definidas. Partindo para uma análise da questão no Brasil, a partir de 1940 houve uma mudança no perfil de morbi-mortalidade, o que tornaria o processo de compressão-retangularização possível de ser observado no país. Todavia, por mais que a mudança no perfil da morbi-mortalidade brasileira possa ter facilitado a possível ocorrência desse processo as mortes prematuras podem agir como um freio. Dentre as causas de mortes prematuras principais em todo o mundo estão as denominadas causas externas, que representam importante parcela dos óbitos. Explica-se que as causas externas são as principais causas que compõem o fenômeno demográfico da corcunda de mortalidade. Diante disso, o objetivo geral desse trabalho é avaliar qual o impacto das mortes por causas externas da corcunda na variabilidade da idade à morte nas Unidades Federativas (UFs) do Brasil no período determinado entre 2000 e 2020. Além disso, pretende-se verificar também se o processo de shifting mortality está tomando forma no País. Outrossim, objetiva-se também avaliar qual o impacto das mortes por causas externas que mais contribuíram para o aparecimento da corcunda na expectativa de vida ao nascer. Como resultados preliminares, observa-se que nas corcundas masculinas as medidas de magnitude apresentaram um crescimento progressivo, o que não é observado para as corcundas femininas. Na determinação das causas de morte que mais contribuíram para a ocorrência da corcunda de mortalidade de jovens adultos brasileiros entre 2000 e 2020 constatou-se que a causa violência foi a que mais contribuiu para a ocorrência nos homens em todos os anos de estudo. Já entre as mulheres em todos os anos há a prevalência de violência e acidentes de trânsito.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALANE SIQUEIRA ROCHA - UFC
Externo à Instituição - BERNARDO LANZA QUEIROZ - UFMG
Presidente - 2002253 - MARCOS ROBERTO GONZAGA
Notícia cadastrada em: 24/01/2023 18:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao