Banca de DEFESA: WEVERTON THIAGO DA SILVA RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WEVERTON THIAGO DA SILVA RODRIGUES
DATA : 22/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência via Gerência de Redes do CCET/UFRN
TÍTULO:

Suicídio em homens no Brasil uma Análise sob a perspectiva demográfica


PALAVRAS-CHAVES:

Suicídio; Demografia; Mortalidade, Efeito da idade, período e coorte; Análise espacia


PÁGINAS: 105
RESUMO:

O suicídio é um fenômeno complexo, multideterminado. É um grave problema de saúde pública mundial e as maiores taxas observadas em homens jovens e idosos. Existem múltiplos fatores de risco correlacionados ao suicídio de homens, destacando os transtornos mentais, às crises financeiras, desemprego e acesso a meios de perpetração de alta letalidade, tais como as armas de fogo. Esta dissertação visa analisar os efeitos da idade, período e coorte nos suicídios totais e por arma de fogo em homens no Brasil e Grandes Regiões no período 1980-2019. Assim como, avaliar a distribuição espacial das taxas de mortalidade por suicídio em homens nos municípios da região Nordeste, no período de 2015-2019, nas faixas etárias de 10 a 80 e mais anos, e correlação com indicadores sociodemográficos. Foram realizadas correções para qualidade e subnotificação dos registros de óbito e estimados modelos idade, período e coorte (APC) por meio de funções estimáveis. Na distribuição espacial, foi realizado cálculo das taxas de óbitos padronizadas para 100 mil homens e suavizadas por meio do estimador Bayesiano empírico e análise de autocorrelação espacial por meio do Índice de Moran global e local (LISA). As análises foram realizadas por meio dos softwares QGis, Geoda e R. No período em estudo o Brasil apresentou 10,22 óbitos por 100 mil homens, as regiões Sul e Centro-Oeste os coeficientes superiores ao nacional e as menores no Sudeste e Nordeste, perfil semelhante foi observado para suicídios por arma de fogo. Os efeitos da idade, período e coorte para os suicídios totais foi distinto do observado para os suicídios por arma de fogo. Para os suicídios totais houve gradiente positivo da taxa de mortalidade com o avançar da idade, e no perpetrado por arma de fogo identificou-se pico de incidência entre 35-44 anos, com posterior estabilização. Redução no risco de morte para os suicídios perpetrados por arma de fogo em relação ao período de referência (1995-1999) para todas as localidades, exceto na região Norte em que o efeito não foi significativo. As gerações mais jovens a partir da década de 1960 apresentaram maior risco de morte por suicídio total e menor risco para os perpetrados por arma de fogo. Para a distribuição espacial das taxas de óbitos por suicídio masculino por 100 mil homens, a Região Nordeste apresentou taxa de 11,86 óbitos, com aumento progressivo dos coeficientes de mortalidade com avançar da idade. O LISA indicou presença de clusters de alta mortalidade nos municípios do Piauí e Ceará, e não houve correlação estatisticamente significativa entre os indicadores socioeconômicos e a mortalidade por suicídio. O desamparo vivenciado pelos idosos brasileiros devido à precarização das condições de vida, podem estar correlacionados com o efeito da idade e coorte observado nos suicídios totais. E o estatuto do Desarmamento pode estar correlacionado com a redução dos suicídios por este meio de perpetração


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1225734 - JORDANA CRISTINA DE JESUS
Externa à Instituição - JULIANA VAZ DE MELO MAMBRINI - FIOCRUZ-MG
Presidente - 1855608 - KARINA CARDOSO MEIRA
Externa à Instituição - TAYNÃNA CÉSAR SIMÕES - FIOCRUZ-MG
Notícia cadastrada em: 03/08/2022 15:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao