Banca de DEFESA: MARILIA DE SOUZA SOARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARILIA DE SOUZA SOARES
DATA : 28/08/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

SOBREVIVÊNCIA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE ENTRE 1980 E 2016


PALAVRAS-CHAVES:

Micro e Pequenas Empresas; mortalidade;  tábua de mortalidade;  Microempreendedor Individual


PÁGINAS: 75
RESUMO:

As Micro e Pequenas Empresas (MPEs) têm um papel fundamental na economia brasileira de gerar emprego e renda para a população economicamente ativa de forma sustentável, bem como alavancar a economia. A concepção e extinção dessas empresas tem impacto significativo na economia e, principalmente, na formalização ao trabalho da população em idade ativa. Esta pesquisa propõe uma análise sobre a população fechada (ausência de migração) das MPEs por coorte (geração) no que diz respeito à constituição (nascimento) e extinção (morte) no período 1980 a 2016 no Estado do Rio Grande do Norte. Com base nos dados coletados na Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte, foram calculadas as tábuas de mortalidade para diversas gerações de empresas constituídas entre 1º de janeiro de 1980 a 31 de dezembro de 2016 por porte e ramo de atividade. Constatou-se diferenciais de nível e padrão de mortalidade/sobrevivência das empresas por porte e ramo de atividade. Foi observado que o aumento da participação dos Microempreendedores Individuais (MEIs) no total de empresas constituídas, embora tenha o efeito de reduzir o número de negócios informais, pode ter algum efeito negativo na probabilidade de sobrevivência das demais MPEs, incluindo aquelas mais consolidadas. Os resultados apontam, ainda, aumentos na probabilidade de morte das empresas de coortes mais antigas, ou seja, com maior estabilidade no mercado empresarial, e níveis mais elevados de mortalidade nos primeiros anos para coortes mais recentes. Esse aumento na mortalidade das MPE’s ocorre  no mesmo período em que a dinâmica demográfica do Rio Grande do Norte favorece um maior peso relativo da população em idade ativa, fenômeno conhecido como bônus demográfico.Os resultados levantados por este estudo contribuem significativamente para o conhecimento dos níveis e padrões de sobrevivência das empresas no RN, apontando possíveis causas e consequências para o tempo médio de vida por deferentes tipos e tamanhos de empreendimentos. Por outro lado, o estudo aponta para a necessidade de dados mais específicos e de melhor qualidade de modo que as análises sirvam de subsídios para os novos empreendimentos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BERNARDO LANZA QUEIROZ - UFMG
Interno - 1346605 - FLAVIO HENRIQUE MIRANDA DE ARAUJO FREIRE
Presidente - 2002253 - MARCOS ROBERTO GONZAGA
Interno - 1688188 - MOISES ALBERTO CALLE AGUIRRE
Notícia cadastrada em: 13/08/2018 10:09
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao