Banca de DEFESA: LAELSON VICENTE FRANCISCO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LAELSON VICENTE FRANCISCO
DATA : 23/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

“Um viveiro de competências e abnegações”: a formação do marinheiro na Escola de Aprendizes norte-rio-grandense (1933-1941)


PALAVRAS-CHAVES:

Escola de Aprendizes Marinheiros. Disciplina. Adestramento. Punição.


PÁGINAS: 151
RESUMO:

Essa dissertação tem por objetivo analisar os códigos disciplinares, as formas de punição e as contravenções realizadas pelos aprendizes (alunos) e oficiais (marinheiros) responsáveis pelo ensino aplicado no interior da Escola de Aprendizes Marinheiros do Rio Grande do Norte, localizada na cidade do Natal, no recorte temporal que vai de 1933 a 1941. Entendemos por processos disciplinares, todo e qualquer recurso utilizado com a intencionalidade de incutir nas mentes e corpos dos aprendizes, regras e normas estabelecidas pela Marinha, que estabelecem o perfil profissional desejado para compor a armada nacional. Para melhor compreensão do tema, dialogamos com os conceitos de disciplina postulados por Michel Foucault (2020), de cultura escolar proposto por Dominique Julia (2010), bem como, dos trabalhos sobre o funcionamento e cotidianos nas escolas de formação de marinheiros escritos por Rozenilda Castro (2013; 2017), Vera Regina Beltrão Marques e Silvia Pandini (2004), dentre outros. As fontes históricas problematizadas são os Relatórios de Ministro da Marinha, os Relatórios de Presidente de Província e de Estado do Rio Grande do Norte, periódicos em circulação à época, a exemplo dos jornais A República e A Ordem, das Leis e Decretos emitidos pelo governo, e a documentação escolar disposta em livros manuscritos: o Livros de Concurrências, Livro de Ordem do Dia, Livro de Castigo para Aprendizes, Livro de Castigo para Sargentos, Livro para o Conselho de Disciplina, Livro de Exame de Marinheiros e o Livro do Prêmio Marcílio Dias. Concluímos que a Escola de Aprendizes Marinheiros do Rio Grande do Norte, durante seu tempo de funcionamento, investiu fortemente no processo de disciplinamento de corpos, adestrando os menores que ali assentavam praça, com o intuito formativo de normatizar os corpos ditos infantis preparando-os para o trabalho profissional/militar na Marinha do Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 3144694 - ALINY DAYANY PEREIRA DE MEDEIROS PRANTO
Presidente - 2310142 - AZEMAR DOS SANTOS SOARES JUNIOR
Externa à Instituição - CLÁUDIA ENGLER CURY - UFPB
Externa à Instituição - JOEDNA REIS DE MENEZES - UEPB
Interna - 057.488.954-04 - MARTA MARIA DE ARAUJO - UFRN
Notícia cadastrada em: 11/02/2022 18:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao