Banca de DEFESA: DICLA NAATE DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DICLA NAATE DA SILVA
DATA : 28/02/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório 01 do PPGEd - NEPSA II
TÍTULO:

ALFABETIZAR LETRANDO JOVENS E ADULTOS DA ESCOLA PÚBLICA: NECESSIDADES DA FORMAÇÃO DOCENTE MATERIALIZADAS EM CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Alfabetizar Letrando na EJA; Análise de Necessidades da Formação; Conteúdos da Formação Docente.


PÁGINAS: 101
RESUMO:

A análise de necessidades de formação não se constitui um fim em si mesma, tampouco acaba na sua identificação, mas se estende na tomada de decisão acerca das etapas formativas, da qual é um suporte, podendo, portanto, ser definida como uma prática geradora de objetivos de formação, isto é, como fundamento de um projeto de formação. Segundo os autores de referência, as necessidades de formação despontam nas e das situações de trabalho, sendo condicionadas por quatro relevantes aspectos: as representações dos sujeitos sobre essas situações: as relações sociais que se estabelecem dentro de dada organização/instituição; os recursos financeiros disponíveis; as possibilidades de promoção subjacentes à formação. Nesta pesquisa, assumimos, em concordância com Rodrigues (2006), que a formação do professor será tanto mais produtiva quanto mais estiver articulada com o professor no contexto do seu trabalho, considerando suas concepções, valores e expectativas em relação à sua prática pedagógica cotidiana. Nessa perspectiva, nossa concepção é a de que o professor deva ser coautor da sua formação e atuação e que essa formação está diretamente relacionada às condições do exercício docente, no bojo das quais emergem as necessidades formativas. Nessa direção, conduzimos a pesquisa com a expectativa de contribuir com elementos potencialmente capazes de possibilitar uma formação continuada a serviço da melhoria da prática pedagógica para alfabetizar jovens e adultos da escola pública, na perspectiva do letramento. Desse modo e em coerência com a concepção de necessidades formativas assumida, concebemos a análise de necessidades de formação como o conjunto das operações que vai desde a recolha das necessidades até a sua ponderação analítica, o que, segundo Rodrigues, (2006, p. 104) requer a identificação de um conjunto de representações dos sujeitos sobre o que lhes falta para o exercício profissional e poderia vir a ser obtido por meio de formação. Todavia, não só as suas representações nos interessavam; este conjunto de pensamentos particulares e pessoais sobre transformações do quotidiano profissional ou da resolução de um dado problema desse mesmo quotidiano, tentamos ir além, buscar também tais necessidades naquilo que não foi (ainda) dito ou praticado, por meio das observações em salas de aula das professoras colaboradoras da pesquisa. Com esta postura de pesquisa, pretendemos dar conta da natureza dual das necessidades, visto que elas se constituem também de elementos subjetivos, não apenas dos elementos objetivos. Em nosso entender, aí está a relevância do estudo: trazer à tona tais necessidades, como contribuição às discussões sobre formação docente a partir das necessidades formativas dos mesmos. Para nos orientar no estudo, em consonância com a problemática planejada, elegemos os seguintes objetivos: 1. Explicitar percepções de professores da EJA, acerca de suas necessidades formativas no âmbito do desenvolvimento de práticas pedagógicas que objetivem a alfabetização-letramento de jovens e adultos da escola pública; 2. Inferir necessidades formativas de professores alfabetizadores da EJA, a partir da utilização de procedimentos de recolha dos dados; 3. Materializar - as necessidades de formação apreendidas - em Conteúdos Programáticos da formação de professores alfabetizadores da EJA. Estes objetivos dão cobertura às duas principais facetas do objeto de estudo, pois que o primeiro dá conta de captar as representações dos docentes, aquilo que eles têm em mente sobre suas necessidades, com base no que conseguiram verbalizar durante os momentos de interação ‘face a face’ com a pesquisadora; o segundo objetivo orienta a pesquisa para as inferências de necessidades ainda não identificadas pelos docentes, mas que podem ser captadas por terceiros, em sessões de observação de suas práticas. Para operacionalizar os objetivos, formulamos três questões norteadoras da pesquisa: 1. Que percepções os professores têm sobre as suas necessidades formativas? 2. Que necessidades formativas das professoras podem ser inferidas, a partir do ‘dito’ e do ‘não-dito’ sobre suas práticas alfabetizadores na EJA? 3. Como as Necessidades Formativas podem se desdobrar em Conteúdos Programáticos, orientados para a Formação do professor alfabetizador da EJA? A pesquisa se inscreve na Abordagem Qualitativa da Investigação Educacional, consoante Bogdan e Biklen (1994), e Lüdke e André (1986), na forma de Estudo de Caso, pois se refere a uma realidade particular que, mesmo inserida num contexto mais amplo, tinha seus contornos bem delimitados, dos quais procuramos extrair o que lhe era peculiar (LUDKE; ANDRÉ, 1986, p.17). A escolha do campo empírico e dos sujeitos foi criteriosamente empreendida e articulada. Portanto, a escolha dos sujeitos foi delimitada a uma escola com oferta de formação continuada para professores da EJA, pelo menos nos últimos cinco anos, para que estes sujeitos, vivenciando práticas de formação em serviço na área da alfabetização, tivessem um repertório de experiências significativas na constituição de seus saberes. Para a construção dos dados, foram utilizados: a entrevista semi-diretiva, aplicada a duas professoras de EJA, sendo uma do Nível I e a outra do Nível II; a observação foi realizada nas salas de aula destas professoras; a análise documental foi feita sobre os principais documentos normativos da EJA no Brasil, vigentes à época da pesquisa. Os dados gerados foram submetidos à análise de conteúdo, nos moldes de Bardin (1977, 2011) e foram categorizados segundo orientações de Amado (2014). Ao término do estudo, trazemos a público oito categorias de necessidades, convertidas e/ou materializadas em conteúdos programáticos da formação docente. Estes se constituem na principal contribuição desta pesquisa, que, haja vista a sua potencialidade para intervir, de forma positiva, nas demandas dos docentes da EJA e dos seus alunos. Especulamos, ainda, com base nos dados gerados, sobre possíveis causas das limitações verificadas, para além do atual modelo de formação, associada a limitações operacionais, nos níveis da macro e da micro gestão didático-pedagógica da sala de aula.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1543391 - CLAUDIANNY AMORIM NORONHA
Interna - 282.302.644-49 - JOSINEIDE SILVEIRA DE OLIVEIRA - UERN
Presidente - 6347260 - MARIA ESTELA COSTA HOLANDA CAMPELO
Externa à Instituição - MARIA MARINA DIAS CAVALCANTE - UECE
Externa à Instituição - MARLUCIA BARROS LOPES CABRAL - UERN
Interna - 1756133 - RITA DE CASSIA BARBOSA PAIVA MAGALHAES
Externo à Instituição - VERÔNICA MARIA DE ARAÚJO PONTES - UERN
Notícia cadastrada em: 25/02/2019 15:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao