Banca de DEFESA: WAGNER DE ARAÚJO RABÊLO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WAGNER DE ARAÚJO RABÊLO
DATA: 29/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Multmeios I
TÍTULO:

Análise do discurso sobre o "bom" professor de História no Brasil contemporâneo: uma questão de cidadania...


PALAVRAS-CHAVES:

Discurso; Michel Foucault; Cidadania; Professor de História.


PÁGINAS: 172
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

Tendo a perspectiva pós-estruturalista como orientação teórico-metodológica, mais especialmente a partir do uso de ferramentas das-leorizações foucaultianas, esta Dissertação tem como objetivo investigar as condições de possibilidade para a emergência e a consolidação do discurso sobre ? "bom" professor de História no Brasil atual. Para tanto, lança-se um olhar de inspiração arqueogenealógica sobre esse discurso, analisando seu atravessamento em eventos que envolvem os processos de elaboração da Constituição Brasileira de 1988, a Lei -de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n° 9.394/96, os Parâmetros Curriculares Nacionais para a disciplina de História no Ensino Fundamental, bem como a circulação de matérias sobre a disciplina escolar de História publicadas na Revista Nova Escola no período de 1992 a 2002. Como um dos principais resultados da análise, tem-se que a prática de significação da cidadania liberal no Brasil contemporâneo preparou um campo de possibilidades tanto para a emergência quanto para a consolidação do referido discurso, que se situa no entremeio de diversos focos dispersos e descontínuos de poder que atravessavam as discussões sobre o que seria um cidadão brasileiro na Nova República. Com base nisso, tem-se, como outros resultados da pesquisa, que o conceito de cidadania e a ideia de formação cidadã são os fios condutores de três eixos do discurso sobre o "bom" professor de História, instituindo-se que um "bom" professor dessa disciplina escolar no Ensino Fundamental deve formar: ? cidadão crítico-moral; o cidadão competente; e o cidadão patriota. Conclui-se que a recorrência de enunciados desse discurso vai tecendo uma rede de significados e práticas que atuam na construção de um modelo de ser professor de História inventado em meio às novas demandas da sociedade brasileira pós-ditadura civil-militar, sem necessariamente considerar o seu processo de construção, permeado em si mesmo por uma variedade de atravessamentos de poder.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALFREDO JOSÉ DA VEIGA-NETO - UFRGS
Externo ao Programa - 336185 - DURVAL MUNIZ DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Externo à Instituição - GILCILENE COSTA - UFPA
Presidente - 1755707 - KARYNE DIAS COUTINHO
Interno - 1672888 - MARIANGELA MOMO
Notícia cadastrada em: 15/02/2016 09:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao