Banca de DEFESA: ROBERTA CERES ANTUNES MEDEIROS DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROBERTA CERES ANTUNES MEDEIROS DE OLIVEIRA
DATA: 16/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: MULTIMEIOS II
TÍTULO:

NARRATIVAS DE APRENDIZAGENS AO LONGO DA VIDA: UMA PESQUISA-
AÇÃO-FORMAÇÃO COM PROFESSORAS DE CLASSES HOSPITALARES


PALAVRAS-CHAVES:

Professores; Classe hospitalar; Pesquisa-ação-formação; Narrativas
autobiográficas; Aprendizagem ao longo da vida.


PÁGINAS: 169
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

A dissertação teve como objetivo primordial investigar a importância de considerar, nos
processos de formação docente, as experiências que constituem o capital biográfico das
profissionais participantes da pesquisa, compreendendo, pois, que essas aprendizagens
depreendidas ao longo da vida, são essenciais ao exercício da prática educativa, no
acolhimento, atendimento e acompanhamento dos educandos, com os quais as professoras
compartilham experiências no mundo da vida. Consideramos que o estudo dessa temática com
foco na experiência das professoras a partir do que elas narram ainda é um campo inexplorado
quando pensamos na realização de uma pesquisa qualitativa com abordagem autobiográfica.
Nesse sentido, nossa proposta de investigação se torna inovadora por nos permitir tomar as
experiências de aprendizagens narradas pelas professoras de classes hospitalares como objeto
de reflexão, depreendendo pois, como se dá a formação das professoras “no chão do hospital”.
A pesquisa (auto)biográfica em educação é um campo de estudos que corrobora para a
formação de professores de classes hospitalares, mediante a ação autônoma e ativa de ouvir e
considerar como fonte de estudos as narrativas das experiências de aprendizagens de e para a
vida. Nossas referências teóricas situam-se na encruzilhada do movimento internacional de
pesquisa (auto)biográfica em educação (FERRAROTTI, 2014; DELORY-MOMBERGER,
2008, 2012, 2014; SCHÜTZ, 2010; ALHEIT, 2012; ALHEIT; DAUSIEN, 2006; PASSEGGI,
2011a, 2011b, 2014a, 2014b, 2015; SOUZA, 2012), do movimento socioeducativo das
histórias de vida em formação (PINEAU, 2005; PINEAU; LE GRAND, 2012, DOMINICÉ,
2000, 2006; JOSSO, 2010; NÓVOA, 1995, 1999, 2009, 2010); e da psicologia cultural que
adota uma perspectiva narrativista (BRUNER, 1997; BROCKMEIER; HARRÉ, 2003).
Participaram da pesquisa cinco professoras, a quem convidamos para narrar (oralmente e por
escrito), individualmente e em grupo, suas experiências de acompanhamento educacional em
espaços hospitalar e domiciliar com crianças com doenças crônicas (câncer, doenças
infectocontagiosas como o HIV e doenças hematológicas) na cidade de Natal/RN. Propomos a
essas docentes, vivenciar o processo de biografização a partir das seguintes fontes
autobiográficas: entrevista narrativa autobiográfica (ENA); registro pessoal (RP); grupo
reflexivo (GR); narrativa autobiográfica escrita (NAE). Para a constituição dessas fontes
autobiográficas, inspiramo-nos, respectivamente, em Appel (2005), Jovchelovitch e Bauer
(2002), Schütze (2010); em Freire (2014), Scarpa (1998); e em Passeggi (2011a). Para a
interpretação dos dados empíricos, compreendemos a aprendizagem, segundo Alheit e
Dausien (2006), na perspectiva da dimensão vivida, sempre ligada a uma biografia concreta,
possibilitando indicar um instrumento de mediação no qual as construções biográficas
apresentam-se como formas reflexivas da experiência, podendo se desenvolver e se
(trans)formar. A relação intrínseca da biografia e da aprendizagem colabora para refletirmos
os processos de aprendizagem e suas contribuições na formação docente, mediante análise das
narrativas autobiográficas com as quais podemos apontar para o desvelamento dos processos
de aprendizagem não formal e informal vivenciados por estas professoras que atuam em
classes hospitalares e se formam enquanto sujeitos biográficos, uma vez que elas acionam a
liberdade biográfica para realizar suas escolhas pessoais e profissionais e consideram o capital

biográfico um dos instrumentos de ação e ressignificação de sua prática docente “no chão do
hospital”.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ELIZEU CLEMENTINO DE SOUZA - UFBA
Externo ao Programa - 1717416 - JACYENE MELO DE OLIVEIRA
Presidente - 7346845 - MARIA DA CONCEICAO FERRER BOTELHO SGADARI PASSEGGI
Interno - 347267 - MARTA MARIA DE ARAUJO
Externo à Instituição - SIMONE MARIA DA ROCHA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 03/02/2016 10:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao