Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA BARBARA SAMPAIO COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA BARBARA SAMPAIO COSTA
DATA: 26/07/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Laboratório de Geologia e Geofísica do Petróleo - UFRN
TÍTULO:

ANÁLISE ESTRATIGRÁFICA E DIAGENÉTICA DAS ROCHAS QUE REGISTAM PASSAGEM ENTRE AS FORMAÇÕES AÇU E JANDAÍRA (NEOCENOMANIANO AO EOTURONIANO) NA BACIA POTIGUAR, NE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

 fácies, sistema estuarino, rampa carbonática, planície de maré carbonática, barras de maré carbonática, análise diagenética, estratigrafia de sequências.

 


PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Este trabalho, intitulado “Análise estratigráfica e diagenética das rochas

que registam passagem entre as formações Açu e Jandaíra (Neocenomaniano ao

Eoturoniano) na Bacia Potiguar, NE do Brasil”, tem como objetivo principal

conduzir um estudo faciológico, estratigráfico e diagenético em arenitos e

calcários que englobam a transição entre os andares Cenomaniano e

Turoniano na Bacia Potiguar. Litoestratigraficamente, tal intervalo

corresponde à passagem entre as formações Açu, depositada em ambiente

continental a transicional, para a Formação Jandaíra, formada em ambiente

marinho.

Como objetivos específicos, este estudo visa realizar: (1) Análise

faciológica e interpretação dos sistemas deposicionais (identificar, por

meio de análise de testemunhos e de perfis geofísicos, as diferentes

fácies, elementos arquiteturais e sistemas deposicionais que representam

os arenitos que integram a unidade operacional Açu-3 e Açu-4 e a porção

inferior da Formação Jandaíra); (2) Análise diagenética (estudo

petrográfico e petrológico enfatizando os tipos e a distribuição espacial

e temporal dos processos diagenéticos, além da avaliação da composição

detrítica e dos fatores que controlam a qualidade de reservatórios –

definindo petrofácies sensu De Ros & Goldberg, 2007); (3) Análise

estratigráfica utilizando os eventos eodiagenéticos como indicadores da

ambiência deposicional e, por fim, (5) Análise integrada dos resultados

obtidos.

Até o presente momento, foram realizados estudos faciológicos e de

interpretação dos sistemas deposicionais, o que resultou nas seguintes

conclusões: As fácies siliciclásticas pertencentes à porção superior da

Formação Açu (Unidade Açu 4) perfazem um total de doze, sendo uma

conglomerática, oito areníticas e três pelíticas. As fácies foram

agrupadas em quatro associações de fácies distintas: (1) A associação de

fácies de barras em pontal de marés; (2) A associação de fácies de

planície arenosa de regime de fluxo superior; (3) A associação de fácies

de planície arenosa de regime de fluxo inferior, e (4) a Associação de

planície lamosa. A associação de fácies possibilitou interpretar que o

cenário deposicional que se estabeleceu durante a deposição da porção

superior da Formação (Unidade Açu 4) era representado por um sistema

estuarino dominado por marés. A porção inferior da Formação Jandaíra

congrega nove fácies, distribuídas desde fácies depositadas em condições

de baixa energia (mudstones) até aquelas formadas em condiçõe de alta

energia (grainstones) e englobam Mudstones a Wackestones com birdseyes,

maciços, bioturbados, Packstones a Wackstones maciços, com bioturbação,

Packstones a Grainstones maciços e Grainstones a Packstones com

estratificação cruzada acanalada. Tais fácies foram agrupadas em três

associações de fácies: (1) A associação de fácies de supramaré a intermaré

; (2) A associação de fácies de inframaré ou laguna carbonática, e (3) a

Associação de barras de maré carbonáticas. O estudo acerca das associações

de fácies tornou possível interpretar que o cenário deposicional para a

porção inferior desta formação era representado por uma rampa interna de

águas rasas onde coexistiam sistemas de planícies de maré e de barras de

marés carbonáticas separadas por lagunas de águas calmas e restritas.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1884342 - DEBORA DO CARMO SOUSA
Externo à Instituição - LILIANE RABELO CRUZ - PETROBRAS
Presidente - 1149363 - VALERIA CENTURLON CORDOBA
Notícia cadastrada em: 26/07/2013 11:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao