Banca de DEFESA: ZARAH TRINDADE GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ZARAH TRINDADE GOMES
DATA : 19/02/2024
HORA: 08:00
LOCAL: videoconferência https://www.youtube.com/@ppggufrn
TÍTULO:

O REGISTRO ICNOLÓGICO DE SAUROPODA (DINOSAURIA) DA BACIA DO RIO DO PEIXE, NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Paleontologia; Titanosauriformes; pegadas; Sousa; icnofósseis


PÁGINAS: 89
RESUMO:

O estudo icnológico de trilhas e pegadas associadas à dinossauros saurópodes auxiliam no reconhecimento do icnoprodutor, compreensão da sua biomecânica, na recuperação de aspectos paleoecológicos e, principalmente, no entendimento da macroevolução do grupo. A Bacia do Rio do Peixe, localizada no Nordeste do Brasil, é composta por um grupo de mesmo nome do Cretáceo Inferior (Berriasiano-Hauteriviano), que apresenta uma grande abundância de icnofósseis de dinossauros, incluindo pegadas de ornitísquios, terópodes e saurópodes. Atualmente, no Grupo Rio do Peixe são conhecidos 40 icnossítios formalmente descritos, doze deles com registros de pegadas de saurópodes. O presente trabalho realizou um levantamento de icnossítios com pegadas e trilhas de saurópodes no Brasil. Observou-se que o registro icnológico brasileiro de Sauropoda carece de descrições mais detalhadas e informações importantes para a compreensão da distribuição e diversidade do grupo. Além do levantamento de icnossítios, foi realizada a descrição de uma nova localidade com pegadas de saurópode no Grupo Rio do Peixe, na Formação Sousa. Esta localidade, denominada ‘Sítio Feijão’, inserida na área do município de São João do Rio do Peixe-PB, apresenta uma trilha bem preservada (SJFE-A), com sete pegadas, de dinossauro saurópode de grande porte, além de outras cinco trilhas associadas a terópodes e tetrápodes indeterminados (SJFE-B a SJFE-F). A trilha SJFE-A, associada a Sauropoda, apresentou características morfológicas singulares, que permitiram a descrição de um novo icnogênero e icnoespécie. Dentre estas características estão pes arredondados com a margem interna mais retilínea que a externa, com cinco dígitos, sendo os três últimos voltados para fora, baixa heteropodia (aproximadamente 1:2), trilha com bitola estreita, manus com cinco calosidades e garra do dígito I não aparente. Estas características permitiram a interpretação de um icnoprodutor Titanosauriformes, embora não seja possível especificar um grupo menos inclusivo. A trilha SJFE-A, até o momento, é o único registro para a Bacia do Rio do Peixe com manus bem preservada, associada ao seu pes correspondente, o que permite uma discussão mais aprofundada sobre a afinidade do icnoprodutor. Esta descoberta contribui para a compreensão da morfologia e da evolução da postura e locomoção em Titanosauriformes, trazendo evidências de que a perda das falanges da manus ocorreu antes da evolução dos membros robustos e arqueados em Titanosauriformes derivados.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - SANDRA APARECIDA SIMIONATO TAVARES
Presidente - 1283832 - ALINE MARCELE GHILARDI
Externo à Instituição - Pedro Victor Buck - UEMG
Externo à Instituição - TITO AURELIANO NETO - URCA
Notícia cadastrada em: 05/02/2024 11:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao