Banca de QUALIFICAÇÃO: GILSIJANE VIEIRA RAMOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GILSIJANE VIEIRA RAMOS
DATA : 23/09/2021
HORA: 14:00
LOCAL: videoconferência https://www.youtube.com/watch?v=QQ7os6X5vgQ
TÍTULO:

Influência do embasamento na nucleação de falhas e caracterização da arquitetura interna da Bacia Rio do Peixe (NE do Brasil)


PALAVRAS-CHAVES:

Herança estrutural; Reativação controlada pelo embasamento; Reativação de falhas rúpteis; Nucleação de falhas; Bacias riftes intracontinentais; Dados magnéticos e sísmicos.


PÁGINAS: 77
RESUMO:

A formação de bacias sedimentares influenciadas pela reativação de estruturas preexistentes é um tema de intenso debate na comunidade científica, em que as zonas de cisalhamento preexistentes podem influenciar fortemente na sua evolução, induzidas por heterogeneidades mecânicas e reológicas. Embora uma relação geométrica 3-D ofereça algumas visualizações sobre como as estruturas do embasamento controlam a geometria e o desenvolvimento espacial das falhas rifte, o controle do crescimento de falhas normais, como resultado da interação entre as zonas de cisalhamento e falhas riftes recentes, ainda é pouco compreendido. Esse estudo integra dados aeromagnéticos, reflexão sísmica 2-D e 3-D, juntamente com dados geológicos-estruturais de campo, para mostrar que a reativação da trama estrutural frágil do embasamento na Bacia Rio do Peixe (BRP) representa uma herança da deformação heterogênea do embasamento, influenciando a nucleação da falha e a arquitetura interna da bacia. A interpretação dos dados geofísicos permitiu a identificação de estruturas dúcteis do embasamento abaixo da BRP e as reativações rúpteis ao longo da bacia, onde inferimos que: (a) a trama estrutural pré-cambriana atuou como local de nucleação para as falhas no seu desenvolvimento inicial; (b) a reativação de falhas de borda das bacias ocorrem ao longo das zonas de cisalhamento que separam os maiores terrenos; (c) as zonas de cisalhamento dúctil do Pré-cambriano e as falhas mais jovens compartilham uma direção semelhante, porém em profundidade as falhas mais recentes cortam a trama estrutural do embasamento; (d) a herança tectônica das estruturas do embasamento induz uma reativação rúptil de longa duração. Aqui, mostramos que a coincidência espacial de zonas de cisalhamento dúcteis pré-cambrianas e falhas rúpteis não é trivial, pois apesar de serem paralelas ao longo da direção, o mergulho dessas estruturas diverge, sugerindo que a geometria das falhas riftes não é totalmente controlado pela herança tectônica de estruturas preexistentes no embasamento Pré-cambriano.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1315614 - DAVID LOPES DE CASTRO
Externo à Instituição - KLEDSON TOMASO PEREIRA DE LIMA - PETROBRAS
Externo à Instituição - FRANCISCO CEZAR COSTA NOGUEIRA - UFCG
Externo à Instituição - PEDRO XAVIER NETO - PETROBRAS
Notícia cadastrada em: 14/09/2021 12:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao