Banca de QUALIFICAÇÃO: SANDRO GIOVANI DE FARIAS ALVES GOMES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SANDRO GIOVANI DE FARIAS ALVES GOMES
DATA : 06/12/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Labsis
TÍTULO:

Inversão hipocentral utilizando vínculos de distâncias entre eventos por interferometria de cauda de onda: uma abordagem determinística


PALAVRAS-CHAVES:

Inversão hipocentral; interferometria de cauda de onda; sismicidade intraplaca


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Este trabalho utiliza a interferometria de cauda de onda (CWI) para estimar distâncias relativas entre fontes sísmicas que possuem o mesmo mecanismo focal e se encontram próximas suficientemente uma das outras. Nesta metodologia as distâncias entre pares de eventos são estimadas a partir do máximo coeficiente de correlação cruzada entre as caudas de onda de cada fonte. O método é capaz de fornecer estimativas coerentes mesmo quando uma só estação é utilizada. Trabalhos anteriores utilizam uma abordagem Bayesiana ao lidar com as estimativas de distâncias obtidas pela CWI devido à natureza probabilística dos resultados. Esta abordagem leva em conta duas importantes características da aplicação da CWI: A primeira é a existência de um viés que tende a subestimar de forma crescente as estimativas de distância à medida que as distâncias reais se tornam maiores. A segunda é o fato de que, a partir de certos valores para as distâncias reais, as estimativas passam a apresentar valores extremamente ambíguos e não confiáveis. Neste trabalho é proposta uma modificação na metodologia da CWI e é explorada uma importante propriedade observada nos resultados obtidos pela CWI. As estimativas associadas às distâncias reais maiores são mais confiáveis e precisas quando obtidas a partir de sinais com menor conteúdo de frequência, ou equivalentemente, ondas de maior comprimento de onda. Assim, para melhor avaliar este comportamento foram realizados testes com sismogramas sintéticos gerados por um algoritmo baseado no método de diferenças finitas e que é capaz de simular a propagação de ondas acústicas em um meio bidimensional heterogêneo. Foram simuladas fontes para diferentes profundidades (2 km, 5km e 10 km) apresentando variados valores de distâncias de separação. Antes de realizar a correlação cruzada para cada par de eventos, os sinais foram filtrados em diferentes faixas de frequência: 1-2 Hz, 2-3 Hz, 3-4 Hz, 4-5 Hz e 5-6 Hz. Desta forma, obteve-se 5 diferentes estimativas de distância para cada par. A partir daí, foi realizada uma análise para avaliar, de acordo com cada valor de distância estimada, quais bandas de frequência fornecem resultados mais confiáveis e representativos da realidade. Esta modificação, utilizando uma abordagem determinística ao invés da Bayesiana, permite lidar com os dados de forma mais simples, eficiente e didática. Os resultados mostram que as faixas de frequências compreendidas entre 5-6 Hz, 4-5 Hz e 3-4 Hz são igualmente confiáveis quando os valores estimados são menores que 200 metros. Para as estimativas entre 200 e 300 metros as faixas de 1-2 Hz e 2-3 Hz fornecem resultados mais representativos da realidade. Enquanto que para estimativas maiores que 300 metros a faixa de frequência de 1-2 Hz produz estimativas mais precisas, porém com uma tendência crescente de subestimar os valores reais de distância. O principal objetivo deste trabalho é utilizar as estimativas de distâncias relativas entre eventos sísmicos como vínculos dentro de um algoritmo de inversão hipocentral associado a dados de diferença duplas nos tempos de chegada. Embora algoritmos de localização relativa baseados em diferenças duplas tenham demostrados ser bastante efetivos em fornecer localizações com um alto nível de precisão, estes ainda dependem fortemente de uma boa cobertura de estações sismográficas na região próxima ao epicentro. Redes de estações densas e bem distribuídas ainda são relativamente escassas em regiões de sismicidade intraplaca. No Nordeste do Brasil, por exemplo, é comum a ocorrência de sequências sísmicas que possuem uma inadequada cobertura de estações sismográficas. Este fato dificulta enormemente o processo de localização, resultando em informações com precisão insuficientes para realizar estudos mais complexos. Diante disto, o uso de informações de distâncias relativas entre eventos fornecidas pela CWI e a capacidade desta metodologia em fornecer estimativas a partir de uma única estação nos encoraja a integrá-las no algoritmo de localização aqui proposto. Com isto, pretende-se obter um melhoramento no processo de localização hipocentral em áreas onde não há uma boa cobertura de estações sismográficas e, desta forma, contribuir para um avanço no entendimento da sismicidade intraplaca no Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1451214 - ADERSON FARIAS DO NASCIMENTO
Externo ao Programa - 026.534.074-85 - FLAVIO LEMOS DE SANTANA
Interno - 1863578 - JORDI JULIA CASAS
Externo ao Programa - 346468 - JOSE ANTONIO DE MORAIS MOREIRA
Notícia cadastrada em: 20/11/2019 11:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao