Banca de DEFESA: THIAGO AUGUSTO BEZERRA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THIAGO AUGUSTO BEZERRA FERREIRA
DATA : 07/08/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

Dinâmica Costeira no Delta do Parnaíba (PI)


PALAVRAS-CHAVES:

Sensoriamento remoto; Delta do Rio Parnaíba; Digital Shoreline Analysis; Erosão costeira; Desenvolvimento natural do delta


PÁGINAS: 108
RESUMO:

As zonas costeiras são ambientes transicionais, nos quais ocorrem mudanças ininterruptas em diferentes escalas temporais e espaciais, as quais estão relacionados os processos oceanográficos, fluviais, climáticos e antropogênicos. O monitoramento contínuo desse ambiente pode auxiliar na compreensão da distribuição espacial dos riscos de erosão, predizendo sua tendência de desenvolvimento, facilitando assim, a tomada de decisões mitigadoras e adaptadoras. O principal objetivo desta pesquisa foi investigar o comportamento do litoral do Delta do Parnaíba (DRP) entre 1984 e 2017, determinando as taxas de recuo e progradação de linhas costa a partir do uso de imagens de satélite e métodos estatísticos. O litoral do DRP tem aproximadamente 100 km de extensão, sendo dividido em quatro setores (I - IV). A partir da utilização métodos estatísticos provenientes do software Digital Shoreline Analisys (DSAS), tais como o Weighted Linear Regression (WLR e WRL²) e End Point Rate (EPR), foi possível determinar as taxas da linha de costa em cinco (5) classes: erosão intensa, erosão moderada, estabilidade, acresção moderada e acresção intensa. Os resultados revelaram que, em uma escala intermediária de tempo (1984 a 2017), 21% das praias no delta exibiram erosão intensa dos transectos de praia exibiram erosão intensa, 30 % erosão moderada, 4% são estáveis, 29 % acresção moderada e 15% acresção intensa. Individualmente, o setor IV foi o que apresentou uma maior erosão costeira enquanto o setor II teve uma maior acresção de sedimentos. Já em um curto intervalo de tempo, as variáveis hidro climáticas (pluviometria e descarga fluvial) têm uma grande influência na posição da linha de costa. Diferentemente da maioria dos litorais em todo o mundo, o Delta do Rio Parnaíba não é gravemente afetado pela ação antropogênica, seja na zona costeira quanto na bacia de drenagem, sugerindo que a condição de desenvolvimento natural seja o fator responsável pela estabilidade a curto/intermediário prazo da linha de costa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2218779 - HELENICE VITAL
Externo à Instituição - JOSÉ MARIA LANDIM DOMINGUEZ - UFBA
Interno - 2042405 - MOAB PRAXEDES GOMES
Notícia cadastrada em: 05/08/2019 10:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao