Banca de QUALIFICAÇÃO: MATCHELLON JAIME BARBOSA PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MATCHELLON JAIME BARBOSA PINHEIRO
DATA : 13/07/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 1 - PPGG
TÍTULO:

Caracterização do magmatismo shoshonítico e sua relação com a evolução tectono-magmática no extremo NE da Província Borborema


PALAVRAS-CHAVES:

Província Borborema; Suíte Shoshonítica; Granitoides.


PÁGINAS: 28
RESUMO:

O plutonismo Ediacarano a Cambriano no extremo nordeste da Província Borborema (PB), consiste uma das mais importantes feições geológicas, sendo representado em toda a sua extensão por batólitos, stocks e diques. Os granitoides de natureza shoshonítica, ao longo dos últimos anos foram estudados de forma individualizada e possui uma escassez de estudos no âmbito regional, no que diz respeito à análise comparativa destes plutões, tanto em uma mesma suíte magmática quanto àquelas nas quais ocorrem associados. Neste contexto, foram selecionados e agrupados conforme sua ocorrência em campo, onze plutões: Grupo I, representado pelos corpos isolados Casserengue, Poço Verde e Riachão; Grupo II, caracterizado por enclaves ou fácies básicas a intermediárias nos plutões da suíte cálcio-alcalina de alto potássio porfirítica, representados pelos corpos de Acari, Monte das Gameleiras, Prado, Serrinha e Totoró; Grupo III, caracterizado por enclaves ou fácies básicas a intermediárias nos plutões da suíte cálcio-alcalina de alto potássio equigranular, representados por rochas da Serra do Caramuru e Tapuio; e Grupo IV, caracterizado por enclaves ou fácies básicas a intermediárias no plutão Japi, associado a suíte alcalina. Petrograficamente, os alvos podem ser reagrupados baseado em suas paragêneses máficas em fácies 1 (F1), composta por ± forsterita ± ortopiroxênio + clinopiroxênio + anfibólio + biotita, plagioclásios mais ricos em anortita (An22-63%) e rochas melanocráticas dos tipos noritos, gabronoritos e dioritos; fácies 2 (F2), caracterizada por ortopiroxênio + clinopiroxênio + anfibólio + biotita, plagioclásios com teores de anortita (An21-50%) geralmente no campo da andesina, há presença de quartzo com teores mais relevantes, e rochas melanocráticas a leucocráticas, com predomínio de termos mesocráticos, dos tipos dioritos, monzogabros, granodioritos, monzonitos e qz-monzonitos; e fácies 3 (F3), constituída de biotita + anfibólio, com plagioclásios variando entre oligoclásio e andesina (An22-45%) e rochas com tendência mais leucocráticas dos tipos qz-diorito, qz-monzodiorito, granodiorito, qz-monzonito e monzonitos. A litoquímica assinala o caráter básico a intermediário dessas rochas (SiO2 = 47,53-64,56%), com valores moderados a altos de Al2O3 (13,57-19,78%), Fe2O3t (4,86-14,48%), MgO (1,62-8,17%) e CaO (3,08-9,93%). O conteúdo de álcalis é relativamente alto em se tratar de rochas pouco evoluídas, onde K2O + Na2O são no geral maiores que 6% variando entre 3,94 e 9,79%, excetuando-se o plutão Riachão que apresenta valores muito baixos (1,54-6,84%). O índice de saturação em alumina aponta, no geral, para rochas predominantemente metaluminosas. Diagramas discriminantes de séries magmáticas mostram que o plutão Riachão tem uma tendência cálcio-alcalina, enquanto os demais plutões confirmam sua natureza shoshonítica. Dados preliminares de química mineral para alguns corpos são apresentados, com análises para piroxênios, anfibólios, biotitas e plagioclásios. Os clinopiroxênios são principalmente do tipo diopsídio (Wo36-49En35-45Fs7-25) e os ortopiroxênios ocorrem dos tipos enstatita (Wo1-6En50-73Fs26-49) e ferrossilita (Wo1-5En26-29Fs67-72). Os anfibólios são cálcicos, variando principalmente devido aos seus conteúdos de álcalis (Na + K) no sítio A. As biotitas mostram-se dos tipos flogopita - apenas para o plutão Riachão -, Mg-biotitas e Fe-biotitas. Os plagioclásios variam desde oligoclásio à labradorita (An21-61Ab39-79Or0-4), com predominância do termo andesina.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1513243 - MARCOS ANTONIO LEITE DO NASCIMENTO
Interno - 080.368.454-15 - ANTONIO CARLOS GALINDO - UFRN
Interno - 2042352 - FREDERICO CASTRO JOBIM VILALVA
Notícia cadastrada em: 10/07/2018 14:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao