Banca de QUALIFICAÇÃO: DIEGO DAVILA BESERRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIEGO DAVILA BESERRA
DATA : 30/11/2017
HORA: 10:30
LOCAL: Sala 1 - PPGG
TÍTULO:

Morfodinâmica e Hidroninâmica da Foz do Rio São Francisco


PALAVRAS-CHAVES:

Rio São Francisco; Formas de leito; Dinâmica costeira


PÁGINAS: 26
RESUMO:

A planície costeira do Rio São Francisco está localizada na região Nordeste do Brasil, entre os estados de Sergipe e Alagoas e já foi caracterizada como um típico Delta dominado por ondas, entretanto, estudos posteriores incorporaram o papel da variação do nível do mar em sua evolução, mostrando que esse Delta corresponde a um modelo que difere dos modelos clássicos. A área estudada está localizada na foz do Rio São Francisco, uma área muito importante no ponto de vista econômico e social, mas que vem sofrendo com a dinâmica costeira. Um intenso retrabalhamento costeiro devido a erosões foi experimentado por esse Rio. Tal retrabalhamento resultou na extinção da Vila do cabeço que se encontra atualmente submersa. Vários trabalhos têm atribuído essa erosão costeira a construções de barragens nos últimos anos ao longo do curso do rio. A região a ser estudada carece de dados detalhadas de morfodinâmica e hidroninâmica, esses dados são importantes na caracterização da área de forma a compreender a dinâmica da região e possibilitar fazer previsões futuras. Portanto, esta pesquisa visa a caracterização dinâmica da área da Foz do Rio São Francisco considerando fatores como a morfologia de fundo, tipo de sedimento, dados de corrente, vazão e dados pluviométricos. Os dados foram coletados em duas campanhas, a primeira ocorreu em janeiro de 2009 e a segunda em setembro de 2012. Foi utilizado um sonar de varredura lateral para caracterização das formas de fundo bem como um perfilador de subfundo para obtenção das alturas das dunas. Os dados de correntes foram adquiridos a partir de um correntômetro acústico por efeito Doopler, amostras de sedimentos foram adquiridas a partir de um amostrador pontual do tipo Van Veen. Dados de vazão foram adquiridos do banco de dados da Agencia Nacional de Águas e dados pluviométricos foram adquiridos do banco de dados do Instituto Nacional de Meteorologia. Os resultados mostraram que o fundo do rio apresenta uma grande variedade de formas de leito, ocorrendo desde marcas onduladas até dunas de grande porte com cristas reta (2D) e cristas sinuosas (3D). Poucas mudanças ocorreram entre as formas de fundo de 2009 a 2012. Os dados de correntes mostraram que as velocidades das correntes são maiores nas marés de vazante. Os sedimentos presentes no leito do rio são todos areias silisiclásticas. Poucas foram as variações nas vazões anuais no período entre 2009 e 2012. Os dados mostraram que o Rio se comportou de maneira estável no intervalo entre as coletas


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDRE GISKARD AQUINO DA SILVA - CAU
Presidente - 2218779 - HELENICE VITAL
Externo à Instituição - KARL STATTEGGER - CAU
Interno - 2042405 - MOAB PRAXEDES GOMES
Notícia cadastrada em: 24/11/2017 09:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao