Banca de QUALIFICAÇÃO: Janiheryson Felipe de Oliveira Martins

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : Janiheryson Felipe de Oliveira Martins
DATA : 02/08/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 1 - PPGG
TÍTULO:

Caracterização sedimentar e ambiental do Estuário do Rio Potengi-RN e sua plataforma adjacente


PALAVRAS-CHAVES:

Estuário, plataforma, Potengi, Foraminífero


PÁGINAS: 19
RESUMO:

Este trabalho tem como objetivo a caracterização de sedimentos de fundo e plataformal adjacente ao Estuário do Rio Potengi, bem como avaliar a qualidade ambiental através da utilização de espécies de foraminíferos presentes nesses ambientes correlacionado esses dados com parâmetros ambientais. Para cumprir esse objetivo foram realizadas coletas de dados físicos e químicos da coluna d’água via CTD e amostragens de sedimentos de fundo utilizando draga Van-Veem. Os foraminíferos foram triados manualmente em microscópio óptico e colados em placas numeradas conforme semelhanças espécies. Com os dados de CTD e de abundância de foraminíferos foram elaborados gráficos estatísticos univariados e multivariados (PCA, MDS e CLUSTER) no software PRIMER. Os resultados obtidos mostraram que os teores de matéria orgânica foram superiores na plataforma quando comparados aos teores no estuário o mesmo foi verificado para os teores de carbonato e para a abundância de foraminíferos. No estuário predominam areias siliciclásticas finas a muitos finas, ocorrendo areias siliciclástica medias em pontos isolados. Na plataforma ocorrem areias siliciclásticas médias à grossas na porção oeste e a sul, também ocorrem sedimentos bioclásticos de médios à grossos na porção central e a leste da plataforma estudada. As análises Cluster, MDS e PCA compartimentaram a área em três regiões, a primeira localiza-se no estuário, dominado por sedimentação siliciclástica fina e com pouco variação nas assembleias de foraminíferos, o segundo e o terceiro localizam-se na plataforma e são dominados respectivamente por uma sedimentação carbonática e siliciclástica. A presença abundante da espécie oportunista Ammonia tepida sustenta a hipótese de um ambiente exposto a altos níveis de poluição e stress ambiental no estuário do Rio


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 277437 - MARCELA MARQUES VIEIRA
Interno - 2042405 - MOAB PRAXEDES GOMES
Externo ao Programa - 347536 - NARENDRA KUMAR SRIVASTAVA
Presidente - 166.483.808-29 - PATRÍCIA PINHEIRO BECK EICHLER - UFRN
Notícia cadastrada em: 24/07/2017 17:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao