Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO CORDEIRO DO NASCIMENTO NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO CORDEIRO DO NASCIMENTO NETO
DATA : 14/06/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do DGEF
TÍTULO:

DUNAS SUBAQUOSAS DA PLATAFORMA TROPICAL SETENTRIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE (NE BRASIL)


PALAVRAS-CHAVES:

Dunas subaquosas; Geomorfologia marinha; Dinâmica plataformal


PÁGINAS: 22
RESUMO:

Dunas subaquosas são importantes feições morfológicas de fundo encontradas em diversas plataformas continentais ao redor do mundo. Seus depósitos no registro geológico são usados como parâmetros indicativos da dinâmica do local como, por exemplo, a direção da corrente. A Plataforma Tropical Setentrional do Rio Grande do Norte é conhecida pelo seu caráter misto, siliciclástica-bioclástica, exposta a processos de alta energia e pela presença de diversas feições de fundo. Entre essas feições, destaca-se um grande campo de dunas na plataforma interna adjacente. O objetivo desta pesquisa é o estudo da dinâmica, geomorfologia e sedimentologia desse extenso campo de dunas. Para isso, foram reprocessados dados batimétricos e sonográficos pretéritos, adquiridos em março de 2015, e adquirida uma nova campanha de levantamento de dados hidroacústicos em maio de 2017. Nessa última campanha, foram coletadas amostras pontuais de sedimentos do substrato marinho e realizado mergulho científico para filmagem e nova coleta de amostras. Essas amostras serão utilizadas na caracterização dos diferentes padrões de retroespalhamento reconhecidos no mosaico sonográfico. Foram identificadas na área de estudo dunas pequenas e grandes, separadas por um batente de 1 m na isóbata de 8 metros. As dunas são oblíquas a linha de costa e apresentam cristas na direção SW-NE. Foram caracterizados 7 padrões de retroespalhamento. O padrão P1 é referente aos dutos da indústria petrolífera instalados na região. Padrões P2 e P3 tem retroespalhamento de alta intensidade. No entanto, o P2 apresenta ripples, enquanto P3 é homogêneo. P4 e P5 tem intensidade média, sendo P4 homogêneo e P5 rugoso. Por fim, os padrões P6 e P7 tem intensidade baixa, com o primeiro sendo homogêneo e o segundo muito rugoso. As amostras coletadas indicam uma heterogeneidade dos sedimentos, mesmo dentro de um determinado padrão. O aspecto rugoso do retroespalhamento aparenta ser relacionado a presença de cascalho bioclástico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2218779 - HELENICE VITAL
Interno - 2042405 - MOAB PRAXEDES GOMES
Externo à Instituição - ANDRE GISKARD AQUINO DA SILVA - CAU
Externo à Instituição - LUIZ ANTONIO PEREIRA DE SOUZA - IPT-SP
Notícia cadastrada em: 13/06/2017 09:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao