Banca de QUALIFICAÇÃO: REBECA SEABRA DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : REBECA SEABRA DE LIMA
DATA : 08/12/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do DG
TÍTULO:

IMAGEAMENTO E MODELAGEM DIGITAL COM GPR EM MICROBIALITOS DA FAZENDA ARRECIFE, CHAPADA DIAMANTINA (BA), NE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Imageamento digital, GPR, Microbialitos.


PÁGINAS: 22
RESUMO:

O imageamento digital com GPR permite a caracterização tridimensional de afloramentos análogos a reservatórios petrolíferos em rochas carbonáticas, propiciando “cortes verticais” do afloramento, com informações sobre sua geometria interna e, quando georreferenciado, permitem a elaboração de modelos virtuais 3D. A proposta deste trabalho envolvendo o uso conjunto dos métodos GPR, perfilagem com raios gama, petrografia sedimentar e análises químicas (MEV/EDS e FRX), abre novas perspectivas para o imageamento virtual 3D de microbialitos, principalmente quando associada ao processamento GPR avançado com o uso de “atributos”. A escassez de artigos, em revistas especializadas, que abordem sobre o imageamento geofísico de microbialitos e o interesse da indústria do petróleo, torna esta proposta ainda mais interessante, e, particularmente por sua importância como análogo de reservatório do Pré-sal. O processamento avançado com atributos em seções GPR foi aplicado com o objetivo de extrair mais informações dos radargramas processados convencionalmente. Dentre eles, o atributo de “Amplitude Instantânea” mostrou resultados promissores realçando o limite entre a colônia de microbialitos (baixa amplitude) e os depósitos tempestíticos (alta amplitude). O atributo de “Energia” apresentou resultado semelhante ao atributo de “Amplitude Instantânea”, sendo que proporcionou uma melhor visualização da laminação interna dos microbialitos colunares. As combinações “Hilbert Trace/Energia e Hilbert Trace/Similaridade” também mostraram de forma adequada o contato entre estromatólito e tempestito, além da geometria interna dos microbialitos. O levantamento de seções colunares e perfis de raios gama foi fundamental para a identificação de mudanças granulométricas e de radioatividade entre as camadas de tempestitos (grainstones), para a parametrização da largura das colunas dos microbialitos, assim como para a identificação de material ferruginoso/fosfatado que é responsável pela alta amplitude das ondas eletromagnéticas, observada nos fortes refletores que aparecem nas seções GPR. Desta forma, foi possível distinguir duas assinaturas para os tempestitos (grainstones mais finos e grainstones mais grossos) e três assinaturas para os microbialitos (microbialitos maiores, médios e menores). As análises químicas com MEV/EDS e FRX realizadas em uma amostra sugerem a presença de mineral fosfático (26,8% de P) e regiões de maior concentração de ferro (16,2% de Fe), possivelmente relacionadas a uma alteração/oxidação, que deverá ser confirmada pela presença de um óxido/hidróxido de ferro identificado com estudo petrográfico (seções polidas). De posse dessas informações é possível afirmar que as ferramentas utilizadas neste trabalho permitiram o imageamento em detalhe dos microbialitos da Fazenda Arrecife, que podem representar células de heterogeneidade (ductos ou barreiras de fluxo) em reservatórios carbonáticos não detectáveis na escala da sísmica convencional


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTÔNIO JORGE CAMPOS MAGALHÃES - PETROBRAS
Interno - 1315614 - DAVID LOPES DE CASTRO
Presidente - 1161652 - FRANCISCO PINHEIRO LIMA FILHO
Notícia cadastrada em: 06/12/2016 15:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao