Banca de DEFESA: BENEDITA CLEIDE DE SOUZA CAMPOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BENEDITA CLEIDE DE SOUZA CAMPOS
DATA: 26/02/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Laboratório de Geologia e Geofísica do Petróleo.
TÍTULO:

CONDIÇÕES DE CRISTALIZAÇÃO DE GRANITOS CÁLCIO-ALCALINOS DE ALTO K PORFIRÍTICOS EDIACARANOS, NE DA PROVÍNCIA BORBOREMA (NE DO BRASIL)


PALAVRAS-CHAVES:

Química mineral; Granitos Cálcio-alcalino de alto K Porfirítico; Província Borborema; Brasil. 


PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

A química mineral de granitos, juntamente com revisão de dados químicos de rocha total e petrografia foram utilizados para determinar as condições de cristalização e as implicações na gênese de granitos Cálcio-alcalinos de alto K Porfiríticos. Seis corpos graníticos foram analisados: Monte das Gameleiras, Barcelona, Acari, Caraúbas, Tourão e Catolé do Rocha, localizados nos domínios Rio Piranhas-Seridó e São José de Campestre, NE do Brasil. Os plútons são representados por monzogranitos, texturalmente possuem fácies porfirítica compreendendo fenocristais de K-feldspato com tamanhos entre 5 a 15 cm. K-feldspato, plagioclásio e quartzo constituem a paragênese félsica e dominante; enquanto biotita e anfibólio representam os minerais máficos principais; titanita, minerais opacos, allanita, epídoto, apatita e zircão são os principais acessórios. Em relação ao índice de Shand o granito Monte das Gameleiras mostra-se mais metaluminoso, enquanto os outros seguem a transição metaluminoso a peraluminoso. Em diagramas discriminantes químicos estes se apresentam com caráter transicional (subalcalino). As análises de petrografia e química não expõe as diferenças dos granitos, porém os resultados de química mineral revelam as diferenças dos mesmos e podem ser divididos em dois grupos: a leste (Monte das Gameleiras, Barcelona e Acari) e a oeste (Caraúbas, Tourão e Catolé do Rocha). As razões Fe/(Fe+Mg) da biotita mostra um aumentam do grupo leste para oeste com valores de 0,48 a 0,64 e 0,66 a 0,92 respectivamente. As razões Mg/(Mg+Fe2) do anfibólio diminui nesse sentido com valores de 0,40 a 0,57 e 0,06 a 0,31. As condições de cristalizações para os granitos a leste (Monte das Gameleiras, Barcelona e Acari) mostram pressão entre 4.2 kbar a 5.8 kbar, com profundidades que variam de 15,9 km a 20,5 km a uma temperatura entre 710 ºC a 734ºC e a oeste (Caraúbas, Tourão e Catolé do Rocha) com pressões de 5,4 kbar a 7,1 kbar e profundidades que variam de 20 km a 23 km a uma temperatura entre 729 ºC - 753 °C. Ambas as áreas, tanto leste como oeste foram gerados a partir de magmas oxidados. As profundidades das intrusões graníticas podem estar relacionadas aos deslocamentos de falhas e ao alto conteúdo de água e voláteis que permitem que o magma de alguns plutons atinja níveis mais rasos em relação aos outros. Os resultados mostram um aumento sistemático de temperatura e pressão de cristalização dos plútons de leste para oeste sugerindo um espessamento crustal nessa direção nos dois domínios geológicos pesquisados.



MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GORKI MARIANO - UFPE
Presidente - 1513243 - MARCOS ANTONIO LEITE DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - VLADIMIR CRUZ DE MEDEIROS - SGB
Notícia cadastrada em: 16/02/2016 19:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao