Banca de DEFESA: CRISTIANE LEAO CORDEIRO DE FARIAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANE LEAO CORDEIRO DE FARIAS
DATA: 16/11/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório de Geologia e Geofísica do petróleo (LGGP)-UFRN
TÍTULO:

GEOLOGIA AMBIENTAL DO ESTUÁRIO DO RIO POTENGI E PLATAFORMA CONTINENTAL ADJACENTE, RN, BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

Rio Potengi, estuário,plataforma interna, foraminíferos bentônicos, granulometria. 


PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Os estuários tem grande importância como abrigo e berçário natural de animais marinhos, provêm peixes para o homem,sustenta a cadeia alimentar, controla as ações erosivas e alagamentos, atua nosistema de filtragem natural da poluição e purificação do ar. O Rio Potengi temsido afetado por diversos fatores antrópicos ao longo dos anos, com váriosdesastres ambientais que mataram peixes, aves e outros animais. Para analisar asituação recente do estuário do Rio Potengi, foram coletadas 42 amostras, 18 emOutubro/2011 ao longo do Rio Potengi e sua foz, e 24 em Janeiro/2012, incluímosa plataforma interna. Análises univariadas (índices ecológicos) e multivariadas(PCA, MDS, CLUSTER e BIOENV) foramaplicadas à matriz dos dados biológicos de foraminíferos e abióticos (CaCO3,salinidade, profundidade, temperatura e granulometria). 

Os resultados mostram a dominância deforaminíferos oportunistas A. tepida,B. striatula, Q. patagonica e Q. milettiespecialmente nas regiões próximas às fazendas de carcinicultura e ao esgoto doCanal do Baldo em ambientes de granulometria fina, e Q. lamarckiana indicadora da penetração da cunha salina e ambientesde alta hidrodinâmica associada a sedimentos de areia grossa a muito fina. A presença de espécies característicasmarinhas H. boueana, E. discoidale, P. atlanticum, T. earlandie T. gramen na Foz do Rio Potengi ena plataforma interna indicam ambientes de altas salinidades. A ocorrência dealgumas espécies tolerantes à baixa salinidade como T. inflata e T. squamatano Canal do Rio Potengi sugerem que provavelmente devem ter sido transportadosdo manguezal próximo à foz do Rio Potengi para as regiões de plataformainterna, sugerindo que o contribuinte fluvial é capaz de exportar organismos deágua doce preferivelmente em direção sul do que em direção norte. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 166.483.808-29 - PATRÍCIA PINHEIRO BECK EICHLER - UFRN
Interno - 2042405 - MOAB PRAXEDES GOMES
Externo à Instituição - SILVIA HELENA DE MELLO E SOUSA - USP
Notícia cadastrada em: 06/11/2015 10:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao