Banca de DEFESA: SUELEN FERREIRA DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SUELEN FERREIRA DE SOUZA
DATA: 12/08/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Aula do Departamento de Geologia-UFRN.
TÍTULO:

Cartografia Geofísica do Arcabouço Estrutural da Bacia Potiguar Emersa, com base em Dados Gravimétricos e Magnéticos.


PALAVRAS-CHAVES:

Expressão Gravimétrica; Expressão magnética; Bacia Potiguar; Estruturas Tectônicas.


PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

O estudo de bacias sedimentares envolve uma integração de informações adquiridas a partir da aplicação de diversas metodologias. Os métodos potenciais, gravimétrico e magnético, representam uma metodologia eficaz no estudo do arcabouço tectônico de bacias sedimentares a um custo relativamente barato, se comparado às demais técnicas. O presente trabalho apresenta a integração de diferentes técnicas avançadas de processamento geofísico em dados potenciais (Redução ao Polo, Matched Filter, Gradiente Horizontal e Inclinação do Sinal Analítico), que auxiliaram grandemente na particularização da expressão geofísica das principais componentes estruturais do Rifte Potiguar e seu embasamento cristalino. Os resultados permitiram identificar claramente as bordas falhadas do Rifte Potiguar (Carnaubais, Apodi e Mulungu), assim como seus componentes internos, horsts Macau e Quixaba, e os grabens Apodi, Umbuzeiro e Boa Vista. As expressivas zonas de cisalhamentos do seu embasamento (Senador Pompeu, Jaguaribe, Portalegre, Açu, Florânia-Ângicos e Picuí João-Câmara) também foram evidenciadas pelo mapeamento geofísico como extensos alinhamentos sigmoidais de direção NE-SW. A integração dos dados geofísicos com dados geológicos permitiu a identificação de oito domínios tectôno-geofísicos com o objetivo de se estabelecer o comportamento dos principais blocos crustais da Província Borborema abaixo do pacote sedimentar. As respostas fornecidas pelas técnicas permitiram ainda a associação das estruturas acima citadas com as principais etapas de rifteamento pelos quais passou a bacia durante a sua complexa evolução. O trend NE-SW, que ocorre como o principal padrão direcional nas regiões adjacentes ao Rifte Potiguar e também em seu interior, evidencia uma forte influência de estruturas pré-cambrianas na formação da bacia, assim como a deformação NW-SE nos diques Rio Ceará-Mirim, o truncamento de estruturas NE com a Falha de Apodi, e também o afastamento entre a Zona de Cisalhamento Portalegre e o Sistema de Falhas de Carnaubais, contribuem para hipótese de propagação dos esforços da Margem Equatorial para o interior do continente. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1315614 - DAVID LOPES DE CASTRO
Interno - 349684 - WALTER EUGENIO DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 23/07/2015 09:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao