Banca de DEFESA: RENATO RAMOS DA SILVA DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RENATO RAMOS DA SILVA DANTAS
DATA: 05/03/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Geofísica Aplicada - LaGAp
TÍTULO:

RESOLUÇÃO EM TOMOGRAFIA DE TEMPO DE TRÂNSITO POÇO-A-POÇO: A DEPENDÊNCIA DA ILUMINAÇÃO.


PALAVRAS-CHAVES:

Tomografia poço-a-poço, Tomografia de tempo de trânsito, Transformada de
Radon, Vínculo de esparsidade.


PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

O aspecto fundamental na resolução limitante em tomografia de trânsito poço-a-poço é a iluminação,
um resultado bem conhecido mas não tão bem exemplificado. A resolução no caso 2D
é revisitada usando uma simples abordagem geométrica baseada na distribuição de aberturas angulares
e nas propriedades da Transformada de Radon. Analiticamente é mostrado que se uma
interface tem mergulhos contidos nos limites da abertura angular em todos os pontos, ela é corretamente
imageada no tomograma. Por inversão de dados sintéticos, esse resultado é confirmado
e é também evidenciado que artefatos isolados podem estar presentes quando o mergulho estiver
próximo do limite de iluminação. No sentido inverso, entretanto, se uma interface é interpretável
por um tomograma, mesmo uma interface aproximadamente horizontal, não há garantia de que
ela corresponda a uma interface verdadeira. De modo semelhante, se um corpo estiver presente na
região entre os poços, ele é imageado no tomograma de forma difusa, mas suas interfaces - em particular,
as bordas verticais - podem não ser resolvidas, e artefatos adicionais podem estar presentes.
Novamente, no sentido inverso, não há garantia que uma anomalia isolada corresponda a um corpo
anômalo verdadeiro, pois sua anomalia pode também ser um artefato. Juntos, esses resultados
declaram o dilema dos problemas inversos mal-postos: ausência de garantia de correspondência
à distribuição verdadeira. As limitações devidas à iluminação podem não ser resolvidas pelo uso
de vínculos matemáticos. É mostrado que tomogramas poço-a-poço derivadas pelo uso de vínculos
de esparsidade, usando tanto a Transformada de Cosseno Discreto como as bases Daubechies,
basicamente reproduzem as mesmas características vistas em tomogramas obtidos com o vínculo
de suavidade clássico. É necessário que interpretações sejam feitas sempre levando em consideração
as informações a priori e as limitações particulares devido à iluminação. Um exemplo de
interpretação de um levantamento de dados reais dentro deste contexto também é apresentado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JESSÉ CARVALHO COSTA - UFPA
Externo ao Programa - 347177 - ROBERTO HUGO BIELSCHOWSKY
Presidente - 349684 - WALTER EUGENIO DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 27/02/2015 14:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao