Banca de DEFESA: ELIZA DIAS CÂNDIDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELIZA DIAS CÂNDIDO
DATA : 20/12/2022
HORA: 15:00
LOCAL: centro de educação
TÍTULO:

PROCESSO AVALIATIVO USADO COM ESTUDANTES COM AUTISMO NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Avaliação escolar, autismo, ensino fundamental anos finais.


PÁGINAS: 133
RESUMO:

O número de matrículas de alunos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) em classes comuns tem crescido de forma expressiva nas últimas décadas. Dados de pesquisas nacionais apontam para a presença de quase 300.000 estudantes com esse diagnóstico nas escolas regulares. Os déficits sociocomunicativos e comportamentais prevalentes nessa população demandam adaptações curriculares no processo de ensino e aprendizagem na escola. Dentre essas adaptações, destacam-se os mecanismos de avaliação acadêmica. Tendo em vista a relevância dessa temática, a presente pesquisa objetivou identificar, por meio de uma pesquisa-ação, os critérios e estratégias que os professores, de escolas Estaduais do Rio Grande do Norte, utilizam na avaliação da aprendizagem de estudantes com TEA regularmente matriculados no Ensino Fundamental II.   De forma específica, teve como propósito: (1) Sintetizar, por meio de uma Revisão Integrativa da Literatura (RIL), o que as pesquisas têm revelado sobre as formas de avaliação usadas por professores de estudantes com necessidades educacionais especiais, em contexto nacional; (2) Descrever a política de avaliação presente nos documentos legais do Estado do RN; (3) Identificar os tipos de recursos avaliativos empregados pelos docentes do estado do RN; (4) Descrever a percepção dos referidos professores sobre o processo avaliativo de estudantes com TEA; (5) Identificar os critérios que devem compor o processo de avaliação da aprendizagem dos referidos alunos e, por fim, (6) Desenvolver como produto, em colaboração com os docentes, uma cartilha orientadora da aprendizagem desses educandos. Participaram da pesquisa 12 docentes vinculados a rede pública estadual, representando os componentes curriculares de: Artes, Ciências, Educação Física, Ensino Religioso, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa e Matemática. Os resultados da RIL revelaram carência na produção de trabalhos direcionados à avaliação acadêmica dos estudantes com autismo. Os dados das entrevistas realizadas com os 12 professores participantes do estudo indicaram que: (a) os alunos com TEA sem comprometimentos severos tendem a ser avaliados da mesma forma que os demais alunos; (b) os estudantes com déficits maiores são avaliados por critérios como frequência nas aulas, análise do "esforço", interação com a turma, entrega de trabalho e atividades adaptadas, dentre outros; (c) os docentes apresentam, muitas vezes, concepções distintas sobre o processo de ensino e sobre a função da avaliação; (d) as práticas de reprovação e aprovação carecem de debates no contexto escolar. Como produto dessa pesquisa foi produzida uma cartilha informativa virtual, direcionada ao processo avaliativo de educandos com TEA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1545096 - DEBORA REGINA DE PAULA NUNES
Interna - 3144003 - GESSICA FABIELY FONSECA
Externa à Instituição - PATRÍCIA BRAUN - UERJ
Notícia cadastrada em: 06/12/2022 12:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao