Banca de DEFESA: LUIS FERREIRA DE LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUIS FERREIRA DE LIMA
DATA: 20/04/2012
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Nuprar
TÍTULO:

OBTENÇÃO DE ÁLCOOL ALÍLICO (PROP-2-EN-1-OL) A PARTIR DA GLICERINA DERIVADA DO BIODIESEL DE MAMONA.


PALAVRAS-CHAVES:

Óleo de Mamona, Biodiesel, Glicerina, Transesterificação, Álcool Alílico.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
RESUMO:

Neste trabalho, foi produzido biodiesel a partir de óleo de mamona que teve como subproduto a glicerina que é a matéria prima para a pesquisa em questão. A razão molar entre óleo e álcool, bem como o uso do hidróxido de potássio (KOH) como catalisador químico para proporcionar a reação, baseada em dados da literatura. O óleo utilizado pode ser obtido através de prensagem a frio de sementes oleaginosas (mamona, amendoim, milho, algodão, soja, girassol), seguida de extração por solvente. O processo de transesterificação envolve a reação do óleo vegetal com um álcool, usualmente o álcool metílico, utilizando como catalisador a soda cáustica. O produto dessa reação é um éster, sendo o biodiesel o seu principal produto e a glicerina o sub-produto. A glicerina serviu como matéria-prima para a obtenção do álcool alílico, a qual foi submetida a tratamento de purificação. A grande vantagem do uso da glicerina para obtenção de álcool alílico é que sua utilização elimina a grande quantidade de resíduos do biodiesel e várias formas de agressão ao meio ambiente. As reações para obtenção de álcool alílico foram conduzidas a partir de ácido fórmico e glicerina. O acompanhamento das reações foi realizado por  Espectrofotômetro UV-Visível: FTIR com transformada de Fourier, por meio da formação de novas bandas  características da estrutura do composto desejado, a análise revelou que estas alterações espectrométricas ocorrem indicando a formação do produto álcool alílico (prop-2-en-1-ol), em presença de água. As bandas de absorção que confirmam a reação foram observadas em (υ C=C) em 1470 -1600 cm-1  e em  (υ  C-O), 3610 – 3670 atribuídas aos grupos C=C e OH respectivamente.  A analise térmica foi realizada em equipamento  específico  onde ocasionalmente o peso e a temperatura serão exibidos em função do tempo, isto permite a verificação aproximada da taxa de aquecimento. Os melhores resultados foram obtidos, utilizando 1 mol de óleo (260g) para 3 mols de álcool etílico (138g), com uso de 1,0% (p/p) KOH como catalisador à temperatura de 260ºC, sob agitação de 120rpm. A metodologia desenvolvida neste trabalho foi capaz de purificar a glicerina produzida através da transesterificação de óleos vegetais, substância apreciada pelas indústrias de plásticos, de lubrificantes, de cosméticos, de fármacos e de explosivos. A glicerina é insolúvel em derivados do petróleo, além de ser não tóxica, o que permite sua utilização na indústria de alimentos. O aproveitamento da glicerina como matéria-prima, junto a diversos ácidos graxos, abre novos horizontes para o desenvolvimento da indústria petroquímica.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo à Instituição - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA - UFS
Externo à Instituição - JOANA MARIA DE FARIAS BARROS - UFCG
Externo à Instituição - JOAO MARCONI DE ANDRADE - UFRN
Externo ao Programa - 347420 - MARCUS ANTONIO DE FREITAS MELO
Notícia cadastrada em: 10/04/2012 17:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao