Banca de DEFESA: TIAGO DE SOUZA BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: TIAGO DE SOUZA BARBOSA

DATA: 22/07/2011

HORA: 09:00

LOCAL: Auditório do LAUT

TÍTULO:

Ambiente para Avaliação de Controladores Fuzzy Aplicados ao Método de Elevação Artificial por Bombeio Centrífugo Submerso


PALAVRAS-CHAVES:

 Elevação Artificial, Bombeio Centrífugo Submerso, Automação Industrial, Controladores Fuzzy.


PÁGINAS: 100

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia Elétrica

RESUMO:

Desde a sua concepção, as unidades de Bombeio Centrífugo Submerso (BCS) destacaram- se pelas altas taxas de vazões desenvolvidas e pelo bom desempenho em poços com alto BSW, tanto em ambientes onshore como offshore.
        Para o sistema BCS, sua vida útil e a frequência das intervenções são de fundamental importância, em virtude dos elevados custos das sondas e dos equipamentos, além dos prejuizos oriundos de uma parada na produção. Na busca por uma maior vida útil do sistema surge a necessidade de que o mesmo trabalhe com eficiência e dentro dos limites de segurança de seus equipamentos, isso implica na necessidade de periódicos ajustes, monitoramento e controle. Como é crescente a perspectiva de se minimizar as ações humanas diretas, esses ajustes deverão ser feitos cada vez mais via automação. A automação do sistema não só possibilita uma maior vida útil, mas também um maior controle sobre a produção do poço.
        O controlador é o "cérebro"da maioria dos sistemas de automação, concentrando em si toda a lógica e estratégias necessárias a atuação no processo de maneira a levá-lo a trabalhar com eficiência. Tal é a importância do controle para qualquer sistema de automação que se espera que, com o desenvolver das pesquisas e melhor conhecimento do BCS, muitos controladores venham a ser propostos para este método de elevação.
        Depois que um controlador é proposto, o mesmo deve ser testado e validado antes de se tomá-lo como eficiente e funcional. O uso de um poço produtor ou de um poço de teste poderia viabilizar a realização de testes, mas com o sério risco de que falhas no projeto do controlador viessem a ocasionar danos aos equipamentos do poço, muitos deles de custo elevado.
        Diante dessa realidade, o objetivo deste trabalho é apresentar um ambiente para avaliação de controladores para poços equipados com o método BCS, utilizando-se de um simulador computacional representando um poço virtual. O uso do ambiente proposto possibilitará uma redução no tempo requerido para a realização dos testes e ajustes necessários ao controlador avaliado e um diagnóstico rápido de sua eficiência e eficácia.

Desde a sua concepção, as unidades de Bombeio Centrífugo Submerso (BCS) destacaram-se pelas altas vazões desenvolvidas e pelo bom desempenho em poços com alto BSW, tanto em ambientes onshore como offshore.

Para o sistema BCS, sua vida útil e a frequência das intervenções são de fundamental importância, em virtude dos elevados custos das sondas e dos equipamentos, além dos prejuizos oriundos de uma parada na produção. Na busca por uma maior vida útil do sistema surge a necessidade de que o mesmo trabalhe com eficiência e dentro dos limites de segurança de seus equipamentos, isso implica na necessidade de periódicos ajustes, monitoramento e controle. Como é crescente a perspectiva de se minimizar as ações humanas diretas, esses ajustes deverão ser feitos cada vez mais via automação. A automação do sistema não só possibilita uma maior vida útil, mas também um maior controle sobre a produção do poço.

O controlador é o "cérebro"da maioria dos sistemas de automação, concentrando lógica e estratégias necessárias a atuação no processo de maneira a levá-lo a trabalhar com eficiência. Tal é a importância do controle para qualquer sistema de automação que se espera que, com o desenvolver das pesquisas e melhor conhecimento do BCS, muitos controladores venham a ser propostos para este método de elevação.

Depois que um controlador é proposto, o mesmo deve ser testado e validado antes de se tomá-lo como eficiente e funcional. O uso de um poço produtor ou de um poço de teste poderia viabilizar a realização de testes, mas com o sério risco de que falhas no projeto do controlador viessem a ocasionar danos aos equipamentos do poço, muitos deles de custo elevado.

Diante dessa realidade, o objetivo deste trabalho é apresentar um ambiente para avaliação de controladores para poços equipados com o método BCS, utilizando-se de um simulador computacional representando um poço virtual. O uso do ambiente proposto possibilitará uma redução no tempo requerido para a realização dos testes e ajustes necessários ao controlador avaliado e um diagnóstico rápido de sua eficiência e eficácia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350693 - ANDRE LAURINDO MAITELLI
Externo à Instituição - BENNO WALDEMAR ASSMANN - PETROBRAS
Externo à Instituição - OSCAR GABRIEL FILHO - UnP
Notícia cadastrada em: 22/06/2011 16:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao