Banca de QUALIFICAÇÃO: IGOR PIRES DE MELO BRAGA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : IGOR PIRES DE MELO BRAGA
DATA : 14/12/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Núcleo Tecnológico em Cimentação de Poços de Petróleo
TÍTULO:

ANÁLISE DO CENÁRIO ATUAL PARA O ABANDONO DE POÇOS ONSHORE DE ÓLEO E GÁS NO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Abandono de poços ONSHORE no Brasil, SGIP, integridade de poços ONSHORE, ANP, IBP


PÁGINAS: 70
RESUMO:

No momento em que os campos de óleo e gás ONSHORE brasileiros passam por um conjunto de desafios para se manterem em produção, seja por baixo retorno econômico, seja por problemas de integridade, conjunturais e de conformidade legal, o abandono destes ganha inédita relevância. Assim tem sido para os principais campos do Norte e Nordeste brasileiros. A resolução 46 de 2016 da ANP passa a regulamentar os procedimentos para estabelecimento e implementação de um Sistema de Gerenciamento de Integridade de Poços (SGIP). Existe a positivação de como se treina, de como se pensa em segurança, de como se perfura, de como se produz, de como se intervém... de como se abandona um poço de óleo e gás, buscando sempre o norte da estanqueidade de poços, visando acima de tudo segurança às pessoas e respeito ao meio ambiente. Assim, os fluxos de hidrocarbonetos não desejados para a superfície ou entre zonas (formações) distintas gerarão forte responsabilização, no presente, para os concessionários já que passam a vigorar modernas regulações baseadas em duplos conjuntos solidários de barreiras (CSBs) que visam tornar o poço tão ou mais íntegro que as (os) formações/reservatórios virgens. Com base no exposto, esse trabalho tem como objetivo apresentar os recentes regramentos para abandonos ONSHORE no Brasil, advindos também das melhores práticas internacionais no assunto. Faz-se um paralelo entre os antigos decretos ANP de 1997 e 2002, analisando-se as principais mudanças nas formas de conceber as intervenções de abandono, refletindo na profissionalização das práticas, disciplina operacional, segurança, e principalmente a busca pela economicidade. É apresentado um diagnóstico do nível de integridade atual de milhares de poços do norte-nordeste, caracterizando as ações que são necessárias para deixá-los conformes em termos de abandonos. Dessa forma, a mensagem que o SGIP apresenta de se projetarem poços robustos no quesito integridade, amigáveis às operações de abandono encontra respaldo na prática. O dispêndio de tempo e de custo para se abandonar um poço em que se buscou a integridade mecânica ao longo de todo o ciclo de vida é consideravelmente menor. Os tampões de cimento que obedecem a critérios do IBP (Brazilian Institute of Petroleum ) de posicionamento, de comprimento, e de testes conseguem conferir segurança no longuíssimo prazo ao projeto, permitindo o descomissionamento dos campos não mais interessantes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804366 - JÚLIO CÉZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Interno - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo ao Programa - 1754344 - MARCOS ALLYSON FELIPE RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 26/11/2020 20:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao