Banca de DEFESA: LARISSA SOBRAL HILARIO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LARISSA SOBRAL HILARIO
DATA : 14/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR/UFRN
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA FIBRA CALOTROPIS PROCERA MODIFICADA PARA REMOÇÃO DE PETRÓLEO NA SUPERFÍCIE DA ÁGUA


PALAVRAS-CHAVES:

Calotropis procera; Sorção; Petróleo


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Os biossorventes vêm se destacando como método alternativo na remoção de contaminação por petróleo oriundo de derramamentos ou vazamentos, pois, além de serem biodegradáveis, apresentam alta disponibilidade natural, baixo custo, e uma boa capacidade de sorção. Sendo assim o objetivo desse trabalho foi avaliar a capacidade de sorção da fibra da Calotropis procera (CP) no estado in natura, bem como, tratada em solução CPTA, CPNaCl, CPNaOH e CPNaClO2, seguidos de tratamento térmico, para uso como material biossorvente para limpeza, remoção e recuperação de petróleo. Inicialmente realizou-se análise termogravimétrica para identificar a temperatura de degradação da fibra, feito isso, a CP destinou-se a ser tratada nas temperaturas de 150°C e 200°C por 1h, 2h e 3h. As estruturas das fibras foram investigadas e comparadas usando espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FTIR) e microscopia eletrônica de varredura com emissão de campo (MEV-FEG). Os resultados dos testes da capacidade de sorção indicaram melhores resultados quando as fibras ficaram 1440min em contato com o petróleo. A CP in-natura obteve capacidade de sorção de cerca de 75vezes o seu próprio peso (76,32 g/g), além disso, foi observado um aumento de sorção para todas as fibras tratadas, sendo a CPTNaOH200°C1h a que atingiu os melhores valores de sorção 127,77g/g e 192,67g/g, seco e lâmina.  Após o estudo da otimização das variáveis significativas, o tratamento da fibra com reagente NaOH à 200°C por 1 h, foi o que obteve maior desejabilidade tanto para os sistemas à seco  quanto em lâmina,  convergindo o resultado real e o predito para as mesmas condições de maximização da sorção de petróleo. As fibras de Calotropis procera in natura e as que foram submetidas a tratamento, nesse trabalho, demonstraram desempenho de sorção para serem empregadas como alternativas promissoras para a remoção de petróleo em derramamentos e vazamentos, dado a uma boa seletividade óleo/água, hidrofobicidade, oleofilidade, alta disponibilidade e excelente propriedade de sorção de óleo.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2140818 - AMANDA DUARTE GONDIM
Externa à Instituição - DANYELLE MEDEIROS DE ARAUJO - UERN
Presidente - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externa à Instituição - EMILY CINTIA TOSSI DE ARAUJO COSTA - UFRN
Externa à Instituição - NATALY ALBUQUERQUE DOS SANTOS - UFPB
Notícia cadastrada em: 04/12/2019 16:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao