Banca de QUALIFICAÇÃO: ALYXANDRA CARLA DE MEDEIROS BATISTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALYXANDRA CARLA DE MEDEIROS BATISTA
DATA : 25/11/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do IQ3
TÍTULO:

Estudo da Conversão Térmica e Termocatalítica da biomassa de microalgas para obtenção de biocombustíveis renováveis utilizando catalisador microporoso


PALAVRAS-CHAVES:

Conversão térmica e termocatalítica, Desmodesmus sp, Estudo Térmico, Estudo Cinético, HBeta 38


PÁGINAS: 121
RESUMO:

O uso contínuo e desenfreado de combustíveis derivados de petróleo é vastamente reconhecido como insustentável. Além disso, as preocupações associadas, não só ao aumento do consumo e a dependência dos derivados do petróleo, mas também, principalmente, aos problemas ambientais faz com que seja necessária a procura por novas fontes de energia mais limpas e sustentáveis. Devido a isto, a produção de combustíveis limpos, renováveis e neutros em carbono são necessários para a sustentabilidade ambiental. Desse modo, o presente trabalho tem como objetivo estudar a aplicação da conversão térmica e termocatalítica da biomassa de microalgas Desmodesmus sp para obtenção de biocombustíveis renováveis utilizando como catalisador a zeólita HBeta 38. O catalisador foi caracterizado por Parte superior do formuláriodiversas técnicas de caracterização, as quais foram: Análise Termogravimétrica (TGA/DTG), Difração de Raios-X (DRX), Microscopia Eletrônica por Varredura (MEV), Espectroscopia de Energia Dispersiva (EDS), Espectroscopia de Fluorescência de Raios-X (FRX), Adsorção e Dessorção de Nitrogênio e Espectroscopia na Região do Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR). A biomassa de microalgas foi caracterizada pelas seguintes técnicas: Análise elementar (CHN), TGA/DTG, FTIR, MEV e EDS. Todos os resultados, tanto da caracterização do catalisador como da biomassa foram satisfatórios, assim como, o estudo cinético realizado a partir dos dados termogravimétricos (TGA/DTG) da biomassa de microalgas pura e na presença do catalisador. As amostras da biomassa pura e da biomassa na presença do catalisador apresentaram valores de R2 acima de 0,9, para a conversão de 5 a 80% do processo, demostrando um comportamento satisfatório dos modelos cinéticos aplicados. A biomassa de microalgas na presença do catalisador apresentou a menor faixa de energia de ativação de 146 a 164kJ/mol para o método de OFW e 320 a 361kJ/mol para o método de KAS na faixa de 5 a 10% de conversão, podendo ser considerada como uma promissora matéria-prima para o processo de pirólise.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140818 - AMANDA DUARTE GONDIM
Interno - 350509 - ANTONIO SOUZA DE ARAUJO
Externa ao Programa - 2011255 - ARUZZA MABEL DE MORAIS ARAUJO
Externo ao Programa - 348087 - GRACO AURELIO CAMARA DE MELO VIANA
Externa à Instituição - REGINEIDE DE OLIVEIRA LIMA - UFRN
Notícia cadastrada em: 20/11/2019 16:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao