Banca de QUALIFICAÇÃO: VITOR PEIXOTO LUCAS RIOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VITOR PEIXOTO LUCAS RIOS
DATA : 17/06/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório de Engenharia Ambiental, sala 212, CTEC
TÍTULO:

GEOLOGIA DO SISTEMA DE ILHAS BARREIRAS DO NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Ilha Barreira, Vibracore, GPR, Holoceno, Variações do Nível do Mar.


PÁGINAS: 121
RESUMO:

No litoral setentrional do Rio Grande do Norte (RN) é emblemática a evolução do sistema de ilhas barreiras. São várias gerações de ilhas e paleoilhas barreiras que parecem ter surgido mais para o continente e migrado em direção ao oceano no Holoceno. Na zona costeira, intensas modificações de curto prazo associadas a processos cíclicos e sazonais, originam a alta instabilidade morfológica evidenciada nas ilhas barreiras atuais. Uma região marcada por intensa atividade sísmica, originada de um tectonismo intraplaca reativado no Neógeno. As principais morfoestruturas que representam esta atividade são os sistemas conjugados de falhas transcorrentes de Carnaubais (NE) e Afonso Bezerra (NW) que delimitam o sistema holocênico de ilhas barreiras. A instabilidade costeira parece se desenvolver, a longo prazo, sob um padrão morfológico associado aos lineamentos morfoestruturais característicos destes sistemas de falhas. Nesta região estão instalados os principais seguimentos econômicos do Estado. São salinas, carciniculturas, eólicas, indústria petrolífera, entre tantas outras atividades relacionadas ao ambiente costeiro. Assim, a ameaça de aumento do nível do mar, eventos extremos e inundações costeiras, compõem grandes desafios aos geocientistas, engenheiros, formuladores de políticas públicas e toda a comunidade no desenvolvimento de estratégias de gestão costeira sustentáveis que apoiem a resiliência de todo o leque de atividades associadas ao ambiente costeiro. Além disso, o conhecimento detalhado da morfodinâmica do sistema de ilhas barreiras, especialmente em resposta às variações do nível do mar, é essencial para fornecer aos exploradores da indústria petrolífera as ferramentas necessárias para orientar as estratégias de perfuração. Haja vista, que as sequências sedimentares depositadas no sistema de ilhas barreiras se configuram como importantes análogos a reservatórios petrolíferos. Portanto, torna-se essencial compreender sua evolução recente, entender os efeitos aditivos dos movimentos tectônicos regionais, das oscilações do nível do mar, e as maneiras pelas quais esses fenômenos respondem e/ou influenciam às variações climáticas. Parte do problema para entender a susceptibilidade de resposta do sistema de ilhas barreiras a estas perturbações, é que poucos estudos se dedicaram a investigação de todo o sistema de ilhas barreiras (em larga escala), cuja evolução é produto da interação entre os ecossistemas coexistentes através dos processos hidrodinâmicos, sedimentares e influenciada pelas características geológicas pré-existentes. Nesta tese, a análise das feições geológicas evidenciadas nos dados de satélites processados digitalmente e sua integração a perfis de GPR com dados sedimentológicos e estratigráficos obtidos por técnicas convencionais de testemunhagem (vibracore), permite uma avaliação detalhada do acabouço geológico-estrutural e de sua relação com as morfologias e/ou morfoestruturas observadas em superfície, tornando possível determinar os controles geológicos-estruturais que podem influenciar a evolução de um dos mais representativos sistemas de ilhas barreiras do Nordeste brasileiro e do mundo.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 1222082 - ADA CRISTINA SCUDELARI
Externo ao Programa - 1882375 - MICHAEL VANDESTEEN SILVA SOUTO
Presidente - 350698 - VENERANDO EUSTAQUIO AMARO
Notícia cadastrada em: 04/06/2019 15:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao