Banca de DEFESA: ALLAN MARTINS NEVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALLAN MARTINS NEVES
DATA : 28/06/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de reuniões do DPET
TÍTULO:

ANÁLISES DA MOLHABILIDADE E DA ADSORÇÃO DE TENSOATIVOS EM ROCHA CALCÁRIA


PALAVRAS-CHAVES:

Tensoativo, adsorção, molhabilidade, calcário.


PÁGINAS: 82
RESUMO:

O cenário atual da indústria do petróleo envolve explorar e produzir reservas com desafios técnicos enormes. Desta forma, torna-se cada vez mais necessário o conhecimento dos mecanismos que impactam a produção do óleo. Um exemplo disso são as novas descobertas no mar brasileiro, com o pré-sal, composto por grandes acumulações de óleo leve, com alto valor comercial. Mas um fator determinante a ser considerado é o tipo de rocha reservatório predominante na formação de suas reservas, que são rochas carbonáticas, principalmente o calcário, que em sua maioria apresenta molhabilidade favorável ao óleo, fator que diminui a recuperação do petróleo. Assim, estudos vêm sendo desenvolvidos nesse tipo de rocha visando inverter sua molhabilidade e melhorar a produtividade. Uma maneira de melhorar as condições de molhabilidade do reservatório é através dos métodos químicos envolvendo tensoativos, que pela sua natureza anfifílica, têm a capacidade de se adsorver em interfaces e superfícies de acordo com sua afinidade, diminuindo a energia livre interfacial, podendo inverter a molhabilidade da rocha, facilitando o fluxo de óleo e assim, melhorando sua recuperação. O objetivo desse trabalho foi estudar como diferentes tipos de tensoativos se adsorvem na rocha calcária, e se eram capazes de alterar sua molhabilidade. Para isso, foi utilizado o método de banho finito para três tensoativos: OCS (aniônico), CTAB (catiônico) e ULTRANEX 110 (não iônico), variando-se parâmetros como a temperatura, a massa de adsorverte (calcário), tempo de contato e concentração de tensoativo. Também foram feitas análises de ângulo de contato para analisar a molhabilidade e de potencial zeta. O OCS foi o único tensoativo que apresentou adsorção significativa na rocha, possivelmente por apresentar íons opostamente carregados aos da rocha. O aumento da temperatura de 30°C para 50°C ocasionou decréscimo na capacidade de adsorção. O calcário in natura apresentou molhabilidade mista, com forte afinidade ao óleo, que após tratamento ocorreu diminuição da molhabilidade ao óleo, no entanto também diminuiu em relação à água. As medidas de potencial zeta mostraram que as atrações eletrostáticas desempenharam papel importante na adsorção, obtendo-se maior valor em módulo para o OCS.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1531209 - VANESSA CRISTINA SANTANNA
Interno - 1679234 - JENNYS LOURDES MENESES BARILLAS
Externo à Instituição - JÉSSICA EMANUELA DE ARAÚJO FERNANDES - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 16/06/2017 11:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao