Banca de QUALIFICAÇÃO: MAX SIMON GABBAY

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAX SIMON GABBAY
DATA: 31/10/2014
HORA: 08:00
LOCAL: A definir
TÍTULO:

CUSTOS E TEMPOS DE PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO: uma análise crítica de dois campos de produção no Brasil


PALAVRAS-CHAVES:

custo de poços, simulação, regressão linear múltipla


PÁGINAS: 245
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Civil
RESUMO:

Os custos dos poços de petróleo têm impactos significativos no gastos totais dos campos de produção, e, dependendo de seu valor final, pode vir a inviabilizar economicamente os mesmos, fazendo com que tenham de ser abandonados e posteriormente devolvidos à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Além disto, inúmeros campos já estão em produção há bastante tempo, exigindo custos cada vez menores para que ainda se tornem viáveis economicamente. Apesar de vultosos investimentos em pesquisa e desenvolvimento, observa-se que, em inúmeras empresas o custo/metro ainda continua crescendo, ou se encontra sem um padrão definido. A perfuração de um poço é uma atividade que envolve inúmeros processos e tarefas distintas. Este trabalho analisa o grau de relacionamento das seguintes variáveis: profundidade final, número de dias, se poço exploratório ou de desenvolvimento da produção, se poço vertical ou direcional, número de fases, se utilização de sondas tipo hidráulica roto-pneumática, percentual do Tempo perdido, índice pluviométrico do ano/mês/área do poço, tipo de sonda (própria ou contratada) e custo diário da sonda com a variável custo/metro. Foram selecionados para este estudo todos os poços perfurados no período 2006 a 2011, de dois campos, com o objetivo de se verificar o comportamento destas variáveis nos mesmos. Para se analisar os dados através da Estatística descritiva, os dados físicos e de custos dos poços foram migrados da base de dados, através de pesquisas de extração de dados com filtros, para uma planilha Excel. Posteriormente, com o objetivo de se utilizar a metodologia da regressão linear múltipla, os dados foram migrados para o Software STATISTICA. Foi desenvolvido um modelo, no qual foi considerado como a variável dependente o custo/metro, e como variáveis independentes as já supracitadas. O estudo demonstrou cientificamente que o custo/metro dos poços do primeiro campo foi impactado pelas variáveis: profundidade final, número de dias, se poço exploratório ou de desenvolvimento da produção, se poço vertical ou direcional, número de fases, e pelo custo diário da sonda. Por outro lado, as variáveis que impactaram o custo/metro do segundo campo foram: se poço vertical ou direcional, o % Tempo perdido, o tipo de sonda (própria ou contratada) e o custo diário da sonda. Ao se comparar os dois campos, o estudo concluiu que as únicas variáveis que impactaram o custo/metro dos dois campos estudados foram: poço vertical/direcional e o custo diário da sonda, enquanto que a variável índice pluviométrico não impactou o custo/metro de nenhum dos campos estudados. Posteriormente o estudo comprovou que a equação que descreve o Modelo para o período 2006-2011, foi também validada ao se utilizar os dados de 2012.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS ALBERTO POLETTO - PETROBRAS
Externo à Instituição - JOSÉ CLEODON DE SOUZA JÚNIOR - PETROBRAS
Externo ao Programa - 1754344 - MARCOS ALLYSON FELIPE RODRIGUES
Presidente - 1149372 - TARCILIO VIANA DUTRA JUNIOR
Interno - 347559 - WILSON DA MATA
Notícia cadastrada em: 25/09/2014 11:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao