Banca de DEFESA: ANA GABRIELA RODRIGUES DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA GABRIELA RODRIGUES DE SOUZA
DATA : 25/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE AULA DO CTEC
TÍTULO:

COMPOSTOS FARMACÊUTICOS NA ÁGUA NA ÁGUA POTÁVEL: REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE


PALAVRAS-CHAVES:

compostos farmacêuticos; micropoluentes emergentes; água potável; metanálise


PÁGINAS: 68
RESUMO:

Os compostos farmacêuticos são detectados na água destinada ao abastecimento público com concentrações na ordem de ng/L a μg/L. Apesar dos seus benefícios, o consumo crescente de fármacos associado à baixa eficiência de remoção pelas ETA tem despertado interesse dos especialistas por causa dos potenciais efeitos à saúde humana e meio ambiente. Além disso, esses compostos podem causar alterações na estrutura e função da comunidade microbiana dos organismos aquáticos. Apesar disso, o arcabouço regulatório visando o controle dos fármacos na água de abastecimento ainda é incipiente. Nesse sentido, a análise desses contaminantes na água é fundamental. Assim, este estudo pretende investigar a ocorrência de compostos farmacêuticos na água tratada disponibilizada à população mediante revisão sistemática do assunto na literatura cientifica. Para isso, foram analisados os artigos publicados em periódicos entre 2000 e 2021. As informações publicadas nos estudos (concentração de fármacos, cidade, método de detecção dos compostos) foram analisadas estatisticamente em planilha eletrônica MS Excel. Foi criada uma base de dados com 468 valores de concentrações, composta de 143 fármacos detectados em 17 diferentes países na Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul. Aproximadamente 83% das concentrações ficaram abaixo de 100 ng/L. As concentrações máximas de Prednisona (6.323 ng/L), Cafeína (5.845 ng/L), Betametasona (2.620 ng/L), Iopamidol (2.400 ng/L), Triclocarban (2.055 ng/L) e Lincomicina (1.413 ng/L) foram observadas em Belo Horizonte, Campinas, rio Ganges (Índia) e Ontário (Canadá), respectivamente. Os resultados revelaram que as concentrações de Cafeína, Iopamidol, Ibuprofeno, Diclofenaco, Triclosan e Carbamazepina excederam os valores admissíveis da norma Australiana em 17x, 2,4x, 1,4x, 4x, 2,1x e 2x, respectivamente. Além disso, a Carbamazepina foi observada em aproximadamente 70% dos países avaliados. Os resultados indicam que, apesar de inicialmente representarem baixo risco potencial à saúde humana, os efeitos causados pela longa exposição a esses compostos precisam ser mais bem avaliados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1242829 - LUCIO FLAVIO FERREIRA MOREIRA
Externo ao Programa - 1913849 - EDGAR PERIN MORAES - UFRNExterno à Instituição - CELSO AUGUSTO GUIMARÃES SANTOS - UFPB
Externo à Instituição - EDSON CEZAR WENDLAND - USP
Notícia cadastrada em: 12/08/2022 16:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao