Banca de DEFESA: SANSARA FÉLIX PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SANSARA FÉLIX PEREIRA
DATA : 29/07/2022
HORA: 14:00
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:

EFEITO DO RETORNO DE LODO AERÓBIO EXCEDENTE SOBRE O DESEMPENHO DO SISTEMA DE TRATAMENTO UASB – LODO ATIVADO


PALAVRAS-CHAVES:

Esgoto doméstico; reator UASB; lodo ativado; estabilização de lodo aeróbio; decantador intermediário.

 

 


PÁGINAS: 60
RESUMO:

O tratamento adequado das águas residuárias é fundamental para assegurar a proteção da saúde pública e dos recursos hídricos, visto que a ausência de tratamento dos esgotos pode contribuir para a proliferação de várias doenças, bem como para a deterioração dos corpos hídricos receptores. Dentre as configurações existentes para o tratamento biológico de efluentes domésticos e industriais, a associação de reatores UASB (Upflow Anaerobic Sludge Blanket) a sistemas de lodo ativado tem sido largamente utilizada, principalmente em regiões de clima quente; uma vez que proporciona a redução da carga orgânica afluente ao sistema de lodo ativado, resultando em economia na sua implantação e operação. Paralelo ao tratamento anaeróbio de esgoto, o reator UASB também pode ser empregado para a estabilização do lodo excedente produzido no reator aeróbio. No entanto, alguns estudos apontam que estações de tratamento de esgoto com essa configuração têm apresentado baixa eficiência na remoção de material orgânico e elevada expulsão de sólidos suspensos junto ao efluente. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é avaliar o efeito da estabilização de lodo aeróbio excedente no reator UASB sobre o desempenho do sistema de tratamento, além de apresentar alternativas adequadas para melhorar estações de tratamento de esgoto com essa concepção. Assim, uma pesquisa experimental foi conduzida em estações de tratamento de esgoto em escala piloto, constituídas por reator UASB seguido de sistema de lodo ativado convencional, com digestão de lodo aeróbio excedente no UASB. A diferença entre os sistemas experimentais esteve na inserção de um decantador intermediário entre o reator anaeróbio e o tanque de aeração do sistema de lodo ativado. Para avaliar a influência do retorno de lodo aeróbio sobre o sistema de tratamento, análises físico-químicas foram realizadas para o monitoramento do material orgânico (DQO) e sólidos. Além disso, as características físicas do lodo também foram analisadas, por meio da sedimentabilidade. Durante o experimento, os reatores UASB mantiveram eficiência satisfatória, em termos de remoção de DQO, com média de 66%; além de baixa expulsão de sólidos suspensos no seu efluente, média de 25 mg/L. O tanque de aeração sem decantador intermediário anterior reteve maior quantidade de biomassa, média de 1.093 mg/L, devido à maior carga orgânica afluente. No entanto, esse sistema piloto apresentou maior expulsão de sólidos no seu efluente final, média de 138 mg/L; uma vez que a parte não biodegradável do lodo aeróbio excedente se acumulou no sistema de tratamento até ser descarregada junto ao efluente final, deteriorando a sua qualidade. No sistema com decantador intermediário, esses sólidos não biodegradáveis foram detidos no decantador subsequente ao reator UASB.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FRANCISCO VIEIRA PAIVA - UNIFOR
Externo à Instituição - ADRIANUS CORNELIUS VAN HAANDEL - UFCG
Interna - 3919045 - JULIANA DELGADO TINOCO
Notícia cadastrada em: 19/07/2022 11:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao