Banca de DEFESA: DANILO SANTOS PUREZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANILO SANTOS PUREZA
DATA : 31/03/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO:

REMOÇÃO DE IBUPROFENO POR ADSORÇÃO EM ÓXIDO DE GRAFENO 


PALAVRAS-CHAVES:

Ibuprofeno. Óxido de Grafeno. Adsorção. Fármacos


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Pesquisas realizadas ao longo dos anos demonstram que os fármacos vendidos com ou sem prescrição médica, tem grande possibilidade de atingir mananciais, tanto pelo descarte inadequado de medicamentos não utilizados em lixões, aterros controlados ou até mesmo na rede pública de esgoto, como também através da excreção humana após o metabolismo (BOUND e VOULVOULIS, 2005; BANERJEE et al., 2016; GUERRA et al., 2019). Dentre os compostos farmacêuticos detectados com maior frequência em águas subterrâneas e superficiais, esgotos brutos e efluentes de ETEs está o grupo dos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), visto que por não ser exigido o uso de receita médica em suas aquisições, são amplamente utilizados pela população mundial, promovendo efeitos maléficos ao meio ambiente, e aos seres vivos que interagem com o meio (BOLONG et al., 2009; ZIYLAN e INCE, 2011; STELATO et al., 2016; ONDARTS et al., 2018; PACHECO, 2019). As estações de tratamento de água, em sua maioria, possuem um sistema de tratamento convencional capaz de atingir alta eficiência de remoção de material particulado e microrganismos patogênicos, porém não é capaz de remover contaminantes emergentes, tais como os fármacos, sendo necessária a implementação de novas tecnologias de tratamento capazes de removerem tais compostos. Os processos de filtração por membranas, adsorção e processos oxidativos avançados (POAs) são técnicas capazes de remover os fármacos. Contudo, em comparação aos demais métodos, a adsorção surge como melhor alternativa, tanto pela possibilidade de regeneração do sólido adsorvente, baixa complexidade tecnológica de aplicação, menores custos envolvidos, como também pela capacidade de não geração de subprodutos tóxicos (RIVERA-UTRILLA et al., 2013; ÁLVAREZ et al., 2015). Os materiais adsorventes à base de carbono têm sido amplamente utilizados no campo da tecnologia de tratamento de água por sua elevada área superficial e abundância (VU et al., 2017; GUERRA et al., 2019). Dentre esses materiais, o grafeno vem se destacando internacionalmente, visto que apresenta ótimas propriedades mecânicas, ópticas, químicas e eletrônicas, despertando o interesse de pesquisas para suas possíveis aplicações, motivando assim esforços para síntese, caracterização e obtenção de materiais de elevado rendimento derivados de grafeno (ALLEN et al., 2009; GEIM, 2009; GUERRA et al., 2019). Dentro desse contexto, a pesquisa teve por objetivo avaliar, em escala de bancada, a eficiência de remoção do fármaco ibuprofeno da água de estudo, por meio da adsorção em óxido de grafeno (OG).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3919045 - JULIANA DELGADO TINOCO
Interna - 1662859 - KARINA PATRICIA VIEIRA DA CUNHA
Externo ao Programa - 2941160 - JOSE HERIBERTO OLIVEIRA DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - PIERRE BASILIO ALMEIDA FECHINE - UFC
Notícia cadastrada em: 21/03/2022 14:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao