Banca de DEFESA: GIULLIANA KARINE GABRIEL CUNHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GIULLIANA KARINE GABRIEL CUNHA
DATA : 15/12/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Remota - Google Meet
TÍTULO:

RESPOSTA DA CAPACIDADE DE SORÇÃO DE FÓSFORO A OCUPAÇÃO URBANA EM ECOSSISTEMAS TROPICAIS


PALAVRAS-CHAVES:

Poluição difusa, Urbanização, Disponibilidade de fósforo, Isotermas.


PÁGINAS: 36
RESUMO:

O fósforo (P) está presente naturalmente nos solos. Mudanças no uso da terra podem promover entradas adicionais de P no solo que levam a saturação dos sítios de ligação excedendo a capacidade máxima de sorção de P no solo. Além do aporte de P, a ocupação urbana promove mudanças dos atributos do solo que concorrem para intensificar o risco potencial do solo contribuir para as cargas globais de P nos ecossistemas aquáticos, agravando a crise hídrica, principalmente na região semiárida. O objetivo deste estudo foi avaliar as características de sorção de P em solos urbanos e verificar a relação dessas com os atributos do solo. Um total de cinquentas amostras de solo, sendo vinte e cinco de solos naturais e vinte e cinco de urbanos foram selecionadas em diferentes bacias hidrográficas. As amostras de solo foram caracterizadas física e quimicamente. As características de sorção de P foram obtidas a partir do ajuste das equações de Langmuir e Freundlich. Para análise desses dados foram realizadas estatística descritiva, correlação de Pearson e Análise de Componentes Principais (PCA). Os solos urbanos apresentaram redução da capacidade de sorver P. Dentre os atributos do solo, o P-rem e os teores de argila estiveram relacionados diretamente às características de sorção de P em solos urbanos, sendo bons indicadores de solos fonte e sumidouro de P em bacias hidrográficas. A Smáx, PSI, teor de argila e a constante 1/n de Freundlich melhor distinguiram os solos urbanos dos naturais quanto a sorção de P. Nossos resultados evidenciam a redução da capacidade de sorção de P nos solos, ampliando a sua mobilidade em bacias hidrográficas e os riscos relacionados às cargas de P em ecossistemas aquáticos com expansão urbana em todo mundo. Esses dados servem como base para tomada de decisão quanto ao manejo adequado dos solos de áreas em expansão urbana nas bacias hidrográficas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1662859 - KARINA PATRICIA VIEIRA DA CUNHA
Interna - 052.716.174-83 - FABIANA OLIVEIRA DE ARAUJO SILVA - UFRN
Interno - 1177742 - RONALDO ANGELINI
Externo à Instituição - CAROLINA MALALA MARTINS SOUZA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 09/12/2021 15:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao